A Nação Lusa

A Nação Lusa

0 63

Felipe Pereira

Ao abraçar-nos a esta nobre causa da defesa dos direitos fundamentais da Diáspora, apercebemo-nos das debilidades desta luta. Sim, ao estudar e realizar as análises do porque desta apatía entre Portugal e a sua Diáspora, cumpre-nos asumir a nossa responsabilidade. Haverá oportunidades no decurso e percurso, deste caminhar de retificar e assim alertaremos.

Para exigir (não pedir) os nossos direitos fundamentais,deveremos também cumprir as nossas obrigações, e a primeira delas é acercar-nos à nossa identidade lusitana. Múltiples razões há, para ter-nos afastado deste caminho e avançaremos com a nossa melhor defesa,  ao final este amor pela nossa Pátria, é responsabilidade de todos, os de lá e os de cá. Os pontos e pontes de reencontro, haverá quê reconstruir-lhos e isso, faremos.

Cada quem, desde as suas razões e percepções da história e em especial a da Diáspora, deverá avançar com propostas viáveis a curto e mediano prazo, para o encontro de soluções, de nossa parte a defesa dos direitos fundamentais dos nossos maiores, não é negociável.

Importante é, a sensibilização dos meios de comunicação, espalhados pelo mundo e não só, assim como os nossos políticos, se assim fizer-mos, avançaremos.

Agora, que o nosso Deputado Paulo Porto Fernandes, assumiu responsabilidades e competências na Comissão Parlamentar Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, deseja-mos bom sucesso, recordando-se que a Petição de Inclusão no Sistema de Segurança Social,   dos portugueses da Diáspora que cursa no Parlamento, está baseada em direitos constitucionais.

Em boa hora, pela sua designação, disponha você, aqui estamos para ajudar.

À está data a pensão mensal dos nossos maiores, é inferior a 1,00 Euro

SIMILAR ARTICLES

NO COMMENTS

Leave a Reply