Américo Ribeiro

Américo Ribeiro

0 1469

O espólio fotográfico deste fotógrafo está na sua cidade natal e conta com 142 mil trabalhos

A fotografia desta semana é da Praça de Bocage, que se encontra na cidade de Setúbal, e o fotógrafo é Américo Augusto Ribeiro, que nasceu naquela cidade a 1 de Janeiro de 1906 e faleceu a 10 de Julho de 1992.

O seu primeiro contacto com a fotografia foi num estúdio fotográfico em Setúbal, cujo proprietário era Alberto Sartoris, onde foram expostas as suas primeiras imagens, em 1922. O seu trabalho ficou marcado pela realização de um arquivo do crescimento e evolução da cidade nos seus diferentes aspectos: Monumentos, eventos sociais, políticos e desportivos. A acrescentar a isto, desenvolveu uma carreira comercial com dois estúdios: Foto Cetóbriga, em Setúbal 1936 – 1984; e outro em Sesimbra, que dava pelo nome de Foto Ameri (1960 – 1979).

Em 1927, publicou o primeiro retrato num jornal, O Setubalense, e em 1929, tornou-se no primeiro correspondente fotográfico em Setúbal do Diário de Notícias, cuja sede é em Lisboa. Para além disso, colaborou com publicações como A Bola, Correio da Manhã, Diário de Lisboa, Flama, A Indústria, Mundo Desportivo, Norte Desportivo, Notícias Ilustrado, O Século, Record, Estádio e A Ribalta.

Também realizou diversas exposições: Américo Ribeiro, um fotógrafo de cidade, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Setúbal, em 1981; Aspectos de Setúbal, na Feira de Sant´lago, em Setúbal; Nascimentos natalícios tradicionais, no Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, em 1982; o mar, a terra e a gente, Sesimbra em 1983; Foi ainda convidado especial no I Encontro Nacional de Fotografia, em Lisboa, em 1983, entre muitas outras. A acrescentar a isso, tem dois álbuns fotográficos publicados: Américo Ribeiro, um fotógrafo na cidade, 1986, e Américo Ribeiro, um tesouro guardado, 1992.

O espólio fotográfico deste fotógrafo está na sua cidade natal, conta com 142 mil trabalhos, e encontra-se depositado no Arquivo Fotográfico Américo Ribeiro, da Câmara Municipal, instalado na Casa de Bocage, edifício onde nasceu o poeta Manuel Maria Barbosa e onde funciona um museu dedicado a Barbosa.

Também recebeu algumas distinções ao longo da sua carreira, como a Medalha de Ouro da Cidade, atribuída pela Câmara Municipal de Setúbal, em 1981; Medalha de Honra da Cidade de Setúbal, na classe de Cultura, atribuída pela Câmara Municipal em 1985, e a Medalha de Mérito Distrital do Distrito de Setúbal.

NO COMMENTS

Leave a Reply