Authors Posts by Kerner Prieto

Kerner Prieto

19 POSTS 0 COMMENTS

0 906

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, odores e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais acerca das raízes crioulas. A especialidade desta semana é o tiramisú.

O tiramisú é uma sobremesa fria que se prepara em camadas.

0 655

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, odores e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais acerca das raízes crioulas. A especialidade desta semana é o tiramisú.

O tiramisú é uma sobremesa fria que se prepara em camadas.

0 932

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, cores e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais as raízes crioulas. A especialidade desta semana é o tradicional ‘majarete’.

Kenner Preito

kprieto@correiodevenezuela.com

É um doce crioulo de aparência tosca e sabor cativante.

0 1030

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, aromas e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais acerca das raízes crioulas. A especialidade desta semana são as tradicionais ‘guarapitas’.

As ‘guarapitas’ datam do século XVIII, altura em que o bispo Mariano Martí fez uma visita pastoral às povoações que fazem parte, actualmente, do Estado de Vargas.

0 932

No nosso percurso pela Venezuela, chegamos esta semana aos Médanos de Coro. Este parque nacional encontra-se no istmo que une Coro e La Vela de Coro com a Península de Paraguaná, no Estado Falcón. Situado na via de Punto Fijo, é possível chegar a esta parque através da estrada Barquisimeto-Churuguara-Coro, pela Morón-Coro ou pela via de Maracaibo-Coro.

O principal atractivo deste parque são as dunas que recordam a paisagem do deserto do Saara. É uma faixa de 34 quilómetros de comprimento por 5 quilómetros de largura, com uma altura média de 20 metros acima do nível do mar. É constituído pela acumulação de areias que se deslocam com a acção do vento, conferindo à região o característico ambiente desértico. Aqui, o espectáculo mais interessante para os turistas é ver como a areia começa a mudar de sítio e a formar caprichosos arabescos debaixo do sol.

Para além das intenções ecoturísticas, muitas pessoas vão a este parque com o objectivo de aliviar vários tipos de dores musculares mediante a utilização do calor acumulado nas dunas. E aqui não existem instalações nem facilidades para o turismo, pelo que as pessoas recorrem aos Médanos de Coro não por ser um destino turístico ideal para passar o tempo, mas para uma visita quando se escolhe outros destinos próximos, como a cidade de Coro, declarada Património Histórico da Humanidade pela UNESCO.

Como em toda a zona árida ou deserta, a vegetação é escassa nas dunas, existindo não mais de 60 espécies vegetais, principalmente as tabaibeiras, os cardos e os cactos. Também a fauna silvestre é um tanto escassa, mas podemos observar répteis, lagartos, iguanas, entre outros. Ali, todos os dias se leva a cabo uma luta implacável, quando as areias vão cobrindo as poucas árvores que há, até afogá-las e convertê-las em troncos secos. De facto, as dunas não são estáticas: Por efeito do evento, vão-se movendo todos os dias.

Por esta razão, recomendamos uma visita aos Médanos de Coro como um destino alternativo quando viajar até ao Estado de Falcón, para aproveitar as múltiplas paisagens com as quais se pode desfrutar nesta terra de graça. É uma paragem obrigatória para todos os turistas, que se divertem subindo as dunas e rolando pelas suas encostas.

0 861

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, odores e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais acerca das raízes crioulas. A especialidade desta semana é o doce ‘figos em xarope’.

A figueira é uma árvore de origem mediterrânica trazida para a Venezuela pelos espanhóis no século XVI.

0 792

O grupo, que começou com 20 membros, conta actualmente com 40 participantes que ressaltam, com orgulho, a cultura lusitana.

A Associação Cultural Grupo Folclórico Os Lusíadas foi fundada a 27 de Outubro de 1988, na cidade de Caracas, por um grupo de amigos que decidiram formar um grupo folclórico que representasse, na Venezuela, Portugal Continental, Açores e Madeira, para, desta maneira, trazer para o país um pouco de Portugal.