Cidade

0 84

Já foram cerca de 45 mil os eleitores ‘fantasma’ na Região, mas a generalização do cartão de cidadão e o consequente acerto da residência oficial de cada eleitor fez diminuir o número de inscritos nos cadernos eleitorais que não residem nas freguesias onde deveriam votar.