Cidade

0 1057

Integrado no contexto das culturas insulares, o APRENDER MADEIRA é, em traços gerais, a enciclopédia da Madeira apresentada em diversos formatos, como as tradicionais enciclopédias em papel, com dez volumes, em dvd e na Internet como um portal de conhecimento e formação da Madeira e dos assuntos com ela relacionados.

0 493

As celebrações dos 500 anos de Santa Cruz arrancaram com discursos oficiais e uma recriação de época, mas irão prolongar-se por todo o ano de 2015. O município tem alguns eventos em agenda, mas continua aberta a sugestões e à participação de todos, entre os quais os filhos da terra emigrados.

0 662

Obra estará disponível em formato digital e será possível aceder em qualquer parte do Mundo

Toda a informação sobre a Madeira – da história, política, arte, modo de falar, vocabulário e até as romarias e procissões – será reunida no Dicionário Enciclopédico da Madeira. A obra, que deverá estar pronta em 2015, terá uma versão em papel e outra digital e online, acessível em qualquer parte do Mundo.

0 1905

Brincadeiras de meninas

Os rapazes construíam joeiras, faziam carros de canas e de caixas de esferas, jogavam futebol com uma bola de trapos e jornais. E as meninas? Com que brincavam as miúdas de há 40 anos, quando havia poucas bonecas para pentear e nem todas tinham a sorte de ter brinquedos pelo Natal, quando o Menino Jesus – ainda não havia Pai Natal – deixava um fogão e um ferro de engomar no sapatinho.

0 518

De acordo com dados disponibilizados pelo Governo no Portal da Transparência Municipal

Os municípios portugueses perderam 16.053 trabalhadores, ou seja, 10,78% desde o início de 2011 e até ao fim de 2013, de acordo com dados disponibilizados pelo Governo no Portal da Transparência Municipal.

No final de 2010, de acordo com a mesma fonte, os 308 municípios do país tinham um total de 148.909 trabalhadores e, no final de 2013, os mesmos municípios empregavam 132.856 funcionários.

0 553

Associação Nacional de Municípios Portugueses considera medida como "altamente preocupante"

O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) considerou, segunda-feira, 13 de Outubro, “altamente preocupante” a transferência de competências para as autarquias na saúde ou na acção social e disse que seria inaceitável uma “generalização” da redução de pessoal em 3%.