Comunidade

0 10

Os pedidos de asilo de venezuelanos aumentaram de 41 em 2018 para 96 em 2019, segundo o mais recente relatório do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras(SEF) e, com uma migração cada vez mais robusta, a Venezuela não se destaca apenas nas estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal por ter 6.551 residentes no país.

0 41

Pela primeira vez, nenhuma instituição luso-venezuelana celebrará o aniversário. É a segunda vez que a Comissão do Dia da Madeira é obrigada a cancelar as festividades que acontecem desde 1988 nas terras de Simón Bolívar

Foto: Cortesia

Sérgio Ferreira Soares .- Não é segredo para ninguém que a comunidade portuguesa na Venezuela vem, em grande parte, da ilha da Madeira. Isso levou a cada ano, no dia 1 de julho, a que diferentes instituições promovessem as suas celebrações por ocasião do Dia da Região Autónoma da Madeira.

0 35

O presidente do clube garante que, embora a presença de portugueses tenha diminuído, as tradições permanecem

Sérgio Ferreira Soares .- No sul da Venezuela, no estado Bolívar, o Centro Português Venezuelano de Guayana também está fechado e sem perspetivas de reabertura. “Este ano não teremos o Dia de Portugal nem o Dia da Madeira, pois as instalações estão fechadas e as autoridades proíbem aos centros sociais e recreativos de abrirem as suas portas para qualquer tipo de atividade», disse Victor Vieira Freitas, presidente do clube.

O também cônsul honorário de Portugal para jurisdição, nascido em Santo António, Pico de Barcelos, garante que, embora a presença de portugueses tenha diminuído, as tradições permanecem. “A presença madeirense no clube é importante; de ​​facto, desde a sua criação, é uma parte indispensável da nossa história. Infelizmente, alguns já morreram e outros emigraram. No entanto, esforçamo-nos para manter as tradições e para que as novas gerações possam participar nas atividades e se aproximar da cultura portuguesa e madeirense. Prova disso é o tradicional Festival de Gastronomia Madeirense, que realizamos todos os anos por ocasião do Dia da Madeira, que infelizmente este ano não pode ser realizado. Também os cursos de língua portuguesa e o nosso grupo folclórico, que atualmente estão em pausa devido ao facto de muitos dos seus membros terem emigrado. Esperamos que em breve tudo volte ao normal, para que possamos continuar a ensinar as tradições portuguesas.”

Victor convida o governo da Madeira a procurar oas seus compatriotas “sem-teto” na Venezuela. “Como instituição, tentamos canalizar algum tipo de ajuda para os portugueses mais carentes, mas isso não é suficiente. Penso que o Governo de Portugal deve promover o sistema de segurança social para todos os portugueses no estrangeiro. Da mesma forma, seria bom para o Governo da Madeira sobre cidadãos madeirenses carenciados, que não têm remédios, não têm acesso a médicos e não têm dinheiro para voltarem a Portugal. São pessoas que devem receber ajuda específica, porque realmente precisam dela, e acho que os clubes, instituições, associações e consulados honorários podem ajudar na coleta de informação. Não podemos cobrir o sol com um dedo: as pessoas estão envelhecendo e a situação será mais crítica a cada dia, por isso devemos agir e ajudá-las a tempo «, concluiu Vieira.

0 30

A instituição será a única a realizar um evento para o Dia da Madeira no país, embora os membros do clube não vão estar presentes

Sérgio Ferreira Soares .- A comunidade lusitana residente na cidade de Maracay vai constantemente à Casa Portuguesa do estado de Aragua; um local com valores e tradições portuguesas e madeirenses. Apesar de o clube, como os demais centros sociais do país, ter atividades mínimas e estar praticamente fechado, seus diretores não quiseram ignorar o Dia da Madeira e das comunidades madeirenses.

0 32

O líder da associação apela ao Governo da Madeira para apoiar as suas comunidades e manter uma comunicação constante

Sérgio Ferreira Soares .- As festas do Dia da Madeira na Venezuela são também uma tradição no Centro Social Madeirense, localizado na cidade de Valência. Todos os anos é comemorada uma missa, uma oferta floral antes do busto de João Gonçalves Zarco e um brinde para os associados.

0 29

Apesar do processo migratório que a Venezuela atravessa, o Centro Português ainda possui um grande número de parceiros madeirenses e lusodescendentes

Sérgio Ferreira Soares .- O jantar e o concerto pelo Dia da Madeira na Venezuela costumam ser realizados no Centro Português de Caracas, instituição que, além de abrir as suas portas à Comissão para essas atividades, também costuma organizar as suas próprias iniciativas e um arraial para comemorar o aniversário da Região. Este ano, como a Comissão, a celebração vai ser através das redes sociais.