Faleceu o radialista e jornalista Adé Caldeira

Faleceu o radialista e jornalista Adé Caldeira

0 65

O radialista português Adérito Josè Caldeira Ramos, melhor conhecido por Adé Caldeira, faleceu no passado dia 12 de dezembro de 2018 na capital venezuelana “vítima de doença prolongada”, disseram à agência Lusa fontes da comunidade portuguesa local. “Ele foi encontrado morto na sua casa”, explicaram as fontes, precisando que o radialista, de 52 anos, esteve emigrado em França, viajando depois para a Venezuela, instalando-se em Caracas em 2008.

Formando em gestão de empresas públicas e especializado em Ciências de Comunicação Sociopolítica, Adérito Caldeira viveu muitos anos em França, na região de Paris, onde foi, nos anos 90, animador sociocultural na Federação das Associações Portuguesas de França (FAPF), a estrutura federativa presidida por José Machado e que tinha sede em Houilles (78). Adé Caldeira também foi assistente autárquico em Clichy-la-Garenne (92), era membro do Partido Socialista português, e esteve ligado ao movimento folclorista português em França, onde fundou o Clube de Jovens Folcloristas Portugueses, com o qual organizou vários encontros de folcloristas, um dos quais já na Venezuela.

Na Venezuela, para onde se mudou em 2008, foi membro da direção do Clube de Comunicadores Sociais Luso-venezuelanos, fez parte da direção de Rádio Arcoense, em Caracas, e organizou vários debates sobre a comunidade lusa local, em conjunto com várias organismos luso-venezuelanos, entre eles a Associação da Mulher Migrante Luso-venezuelana e o Instituto Português de Cultura. Depois de deixar a Rádio Arcoense, criou o “PortuNotícias”, órgão digital de divulgação de informações de interesse para a comunidade luso-venezuelana.

Em 2016 fundou a associação “Viriato Venezuela” orientada para promover a cultura portuguesa entre os jovens luso-venezuelanos.

NO COMMENTS

Leave a Reply