FC Porto regressa aos títulos em ano conturbado para Benfica e Sporting

FC Porto regressa aos títulos em ano conturbado para Benfica e Sporting

0 84

O FC Porto regressou ao topo do futebol português em 2018, com a conquista da I Liga, enquanto o Sporting ficou apenas pela Taça da Liga, num ano para esquecer para o Benfica.

Sob o comando de Sérgio Conceição, o FC Porto pôs fim a quatro temporadas de ‘jejum’ e alcançou o 28.º título da sua história, num campeonato em que terminou com sete pontos de vantagem sobre o Benfica, que falhou o inédito ‘penta’.

O Sporting, com o maior investimento de sempre da sua história, ficou-se pelo terceiro lugar da I Liga, a 10 pontos dos dragões’ e continua sem levantar o mais importante título nacional desde 2001/2002.

Com Jesus ao ‘leme’, os ‘leões’ foram mais felizes na Taça da Liga, prova que conquistaram pela primeira vez, e foram finalistas vencidos na Taça de Portugal, frente ao Desportivo de Aves (2-1), num encontro que foi disputado dias depois do ataque à Academia de Alcochete.

Os avenses, num ano em que tiveram três treinadores e em que só alcançaram a manutenção no primeiro escalão perto do fim, acabaram por beneficiar de um Sporting ainda em ‘choque’ e levantaram pela primeira vez a Taça de Portugal, com José Mota como técnico.

O ano só não foi perfeito para o Desportivo de Aves devido a um erro burocrático que impediu o emblema que participar pela primeira vez nas competições europeias, acabando o Rio Ave, quinto classificado da Liga, por se juntar ao Sporting de Braga. Na época seguinte, os dois clubes acabaram eliminados ainda antes da fase de grupos.

Com uma equipa em que as únicas ‘contratações’ foram jogadores que regressaram após empréstimo, devido ao ‘fair-play financeiro’, o FC Porto acabou por chegar à conquista do campeonato e ficou pelas meias-finais da Taça da Liga e Taça de Portugal, tendo em ambas sido eliminado pelo Sporting.

O maliano Moussa Marega, um dos regressados, foi uma das principais figuras da equipa de Sérgio Conceição, tendo terminado a I Liga no terceiro lugar da lista dos melhores marcadores, com 22 golos.

O avançado ‘roeu’ a corda para abandonar o Dragão durante o verão, tendo falhado mesmo o triunfo na Supertaça perante o Desportivo das Aves (3-1), mas acabou por continuar e ajudou o FC Porto a terminar o ano em praticamente todas as frentes.

2018 não será de boa recordação para o Benfica que, além da ausência de títulos, viu o seu nome envolvido em casos judiciais, como o ‘e-toupeira’, e esteve perto de despedir o técnico Rui Vitória, num final de ano atribulado.

Com uma Liga dos Campeões para esquecer e uma eliminação prematura na Taça de Portugal, o Benfica iniciou o ano limitado ao campeonato e à Taça da Liga e terminou mesmo a época sem qualquer conquista. Salvou-se o segundo lugar na I Liga, que deu acesso à Liga dos Campeões, e Jonas como melhor da prova, com 34 golos.

Durante o verão, o avançado brasileiro, de 34 anos, esteve perto de continuar a carreira na Arábia Saudita, mas acabou por seguir na Luz, apesar de alguns problemas físicos.

Mesmo com uma temporada sem títulos, o presidente Luís Filipe Vieira ‘segurou’ Rui Vitória, mas o técnico de 48 anos esteve mesmo despedido perto do final do ano, após nova eliminação na Liga dos Campeões, acabando o dirigente ‘encarnado’ por voltar atrás na decisão.

Conturbado (e muito) foi o ano do Sporting, sobretudo após a eliminação na Liga do Europa perante o Atlético Madrid e o falhanço do apuramento para a ‘Champions’, que deixou o clube numa crise institucional, que culminou com a destituição do presidente, Bruno de Carvalho, e a eleição de Frederico Varandas para o substituir.

Após o desaire da Taça de Portugal, Jesus abandonou o Sporting e foi rendido por José Peseiro, que no seu regresso a Alvalade não durou muito no cargo. O treinador português acabou em novembro por ser rendido pelo ‘desconhecido’ técnico holandês Marcel Keizer.

Destaque para Santa Clara e Nacional da Madeira, que regressaram ao primeiro escalão, e Paços de Ferreira e Estoril-Praia, que acabaram relegados à II Liga.

O Caldas, do Campeonato de Portugal, também não vai esquecer tão cedo o ano de 2018, tendo ficado muito perto de uma memorável presença no Jamor. A equipa do terceiro escalão só caiu nas meias-finais da Taça de Portugal e após prolongamento, frente ao Desportivo das Aves.

O Vitória de Setúbal esteve perto de repetir a conquista da Taça da Liga, algo alcançado logo na primeira edição da prova, em 2007/08, mas acabou derrotado nos penáltis na final com o Sporting.

NO COMMENTS

Leave a Reply