Grupo Folclórico Virgem de Fátima se deliciará com as suas danças

Grupo Folclórico Virgem de Fátima se deliciará com as suas danças

0 102

O grupo folclórico participará na nova edição do Festival de Folclore Português, representando a região do Minho

Oscar Sayago

O Grupo Folclórico Virgem de Fátima, localizado em Guatire, vai dar vida à histórica região do Minho na XXXI Edição do Festival de Folclore Português, com danças e música típicas.

O ânimo dos elementos do grupo estão ao rubro, e a diretora Lucila Sousa de Pereira expressa que o mais importante deste festival é continuar a dar esperança e alegria à comunidade portuguesa na Venezuela. “Embora a situação no país seja complicada, devemos continuar a divulgar as nossas tradições, de forma que os mais pequenos possam continuar a participar. Para esta nova edição penso que todos temos vindo a contribuir, e embora esta não seja tão grande quanto as anteriores, onde participaram até 23 grupos, sei que vai ser única “, disse Lucila.

Para esta edição foi preparado algo muito especial, pois em coordenação com a equipa que monta as coreografias e os integrantes com mais permanência no grupo, está a ser preparado algo novo para as danças a apresentar. Algo que caracteriza o grupo Virgem de Fátima é que muitos dos seus participantes são jovens luso-descendentes e venezuelanos que têm gostado tanto da tradição portuguesa que têm permanecido no grupo.

Ao longo dos anos, o grupo tem sido prejudicado pela sua localização, uma vez que está em Guatire o transporte tem sido difícil, e muito mais se tivermos em consideração os altos preços das viagens. Mas o grupo tem participado constantemente nos arraiais do Santuário da Virgem de Fátima em Carrizal.

Durante o seu percurso têm podido participar em diversos festivais e eventos em geral onde têm mostrado o mais típico, tanto da Ilha da Madeira como do Minho. Mas obtiveram o 2º e o 3º lugar como Melhor Coreografia, Melhores Trajes Típicos e Melhor Música graças às vozes de Javier Rodrigues e Ana da Silva. Por outro lado, também organizaram o Encontro Continental em 2012, no qual participaram 9 grupos folclóricos para comemorar a cidade de Óbidos. Atualmente, possuem um grupo infantil e outro juvenil.

Como foi referido anteriormente, o grupo representará a região do Minho, usando um traje típico conhecido como as Lavradeiras, caracterizado pela utilização de um lenço e colares decorativos. Por outro lado, são esperadas coreografias muito elaboradas, como por exemplo o “Chula Picada”.

O grupo é composto por um total de 25 membros, que estão divididos em nove músicos e oito pares de dança, o que perfaz um total de dezasseis pessoas na dança. Este ano a madrinha que representará o grupo é Yicela Gonçalves.

O grupo folclórico começou no Centro Socio Cultural Virgem de Fátima (CSCVF), onde ao longo dos anos ajudaram nas festividades de Nossa Senhora do Rosário. O grupo foi oficialmente fundado no dia 27 de junho de 2003 na cidade de Castillejo, Guatire, estado Miranda, por iniciativa de António De Freitas, Irene Da Trindade e Ana Maria Cabral.

O grupo começou com trajes folclóricos tradicionais e a partir daí visitaram lares em Guatire. O diretor do CSCVF, Joaquim Teixeira fez uma viagem a Portugal, onde foram comprados os primeiros trajes do clube, como resultado disto começaram a organizar danças continentais, e depois uma viagem a Madeira onde compraram trajes típicos da região. Existem 10 trajes madeirenses e 10 continentais.

Importa referir ainda que no dia 27 de junho, a G.F Virgem de Fátima assinalou o seu 15º aniversário desde a fundação do grupo.

NO COMMENTS

Leave a Reply