Segredos de cozinha: Guarapita

Segredos de cozinha: Guarapita

0 1070

No nosso percurso pelos pratos típicos venezuelanos, podemos encontrar uma variedade de sabores, aromas e texturas. Convidamos os nossos leitores a conhecer um pouco mais acerca das raízes crioulas. A especialidade desta semana são as tradicionais ‘guarapitas’.

As ‘guarapitas’ datam do século XVIII, altura em que o bispo Mariano Martí fez uma visita pastoral às povoações que fazem parte, actualmente, do Estado de Vargas. Já em 1772 era ingerida, em Naiguatá, uma bebida chamada ‘guarapo’, que, para além de açúcar, ‘papelón’ e água, levava peças de ferro, o que lhe dava um sabor azedo e que embriagava quem a consumisse.

Actualmente, a ‘guarapita’ combina ‘papelón’, açúcar e frutas com uma aguardente clara que serve como base da bebida. Segundo Juan Millán, a variedade e surpresa no que toca ao sabor constitui a sua principal virtude, daí que hoje em dia exista ‘guarapita’ de diferentes frutas. Como antigamente, a ‘guarapita’ é uma bebida económica, que pode ser bebida em grandes quantidades por um baixo preço.

‘Guarapita de Parchita’

Uma das coisas que a ‘Terra de Graça’ deu ao mundo, para deleite do paladar, é a ‘guarapita de parchita’. A ‘guarapita’ é uma bebida preparada à base de cana clara, ‘parchita’ ou maracujá e açúcar. As receitas mais sofisticadas acrescentam, para além destes ingredientes, Vermute Branco, Amargo de Angostura e Absolut Vodka. Nas costas araguenhas, especialmente em Cuyagua, Cata e Choroní, onde a ‘guarapita’ é rainha, são menos sofisticados e colocam chá de ‘campanita’ para criar o efeito de ‘voltea güiro’, característico desta bebida autóctone das costas venezuelanas. Há, também, versões de coco ou de morango.

Um dos maiores prazeres da vida é dançar na Praça Bolívar de Puerto Colombia, em Choroní, ao ritmo dos tambores araguenhos, com um frasco de ‘guarapita de parchita’ na mão.

Guarapita de papelón’ com limão

É um dos licores mais populares em todo o município de Ocumare de La Costa, especialmente na povoação de Cumboto, onde é considerada uma bebida indispensável para as celebrações em honra a São João Baptista. É preparado com um batido de limão e bicarbonato. Quando estiver espesso, acrescentar cana clara e adoçar com ‘papelón’.

NO COMMENTS

Leave a Reply