Homologação automática dos diplomas é uma luta para os médicos luso-venezuelanos

Homologação automática dos diplomas é uma luta para os médicos luso-venezuelanos

0 55

Antonieta Maltezinho é médica dermatológica, vive na Quarteira, Algarve, e, como alguns relatos que já noticiámos, é outro dos médicos luso-venezuelanos que vieram para Portugal e que pretendem que as suas habilitações sejam reconhecidas.

“Tenho estado a tratar da homologação, mas continuamos numa luta a ver se conseguimos obter uma homologação automática, para poder começar a trabalhar mais rápido”, disse inicialmente a lusodescendente.

Desde que chegou a Portugal em setembro de 2019, Antonieta Maltezinho não trabalhou e tem vivido com as poupanças que trouxe da América do Sul, ao JM, explicou a razão.

“Ainda não trabalhei porque sinto que, de verdade, devo trabalhar no que sei fazer que é medicina. É isso que quero e pretendo fazer”, garantiu.

Para Antonieta Maltezinho, a homologação seria satisfatória para as todas as partes, uma vez que “há falta da especialidade em dermatologia em Portugal”, acrescentando toda a experiência que tem ao longo dos “20 anos” em que exerceu, desde dermatologia médica de crianças e adultos a cirurgia dermatológica, realçando ainda a experiência que teve durantes 17 meses no Chile onde era a responsável no Hospital que trabalhou.

NO COMMENTS

Leave a Reply