Insectos milenários

Insectos milenários

0 26

Ainda que a maioria das pessoas não goste de insectos, a importância destes pequenos seres é vital na existência da humanidade. Eles são capazes de manter um equilíbrio importante entre as espécies, inclusive a humana, tornando possível que o mundo continue a avançar como tem feito até agora.

Por isso, nesta oportunidade, trazemos o assunto à discussão, já que a origem destes pequenos animais, muitas vezes indesejáveis, foram alvo de um estudo realizado por 100 investigadores de 16 países, no âmbito do projecto 1KITE (1000).

Foi dado a conhecer que os primeiros insectos que habitaram a Terra viveram há 480 milhões de anos, surgindo quase ao mesmo tempo que apareceram as plantas terrestres, mas não foi senão quase oito milhões de anos depois que os insectos desenvolveram a sua capacidade de voar.

Os investigadores clarificaram que os primeiros insectos tinham, provavelmente, um aspecto semelhante aos peixes de prata, os ‘Lepisma Saccharina’, e por esse motivo, há uns 400 milhões de anos, os antepassados dos que hoje conhecemos como libélulas ou cavalinhos do diabo começaram a desenvolver as suas asas, o que lhes deu a possibilidade de voar longas distâncias e chegar a novos espaços.

Uma das coisas mais insólitas é que o que hoje conhecemos como libélulas tinham asas que mediam cerca de 70 centímetros de ponta a ponta, contavam com umas mandíbulas muito fortes, e mudaram de aspecto justamente quando as plantas terrestres começaram a ganhar altura, o que lhes permitiu adaptar-se rapidamente às mudanças do meio ambiente.

A investigação liderada pelo cientista alemão Bernhard Misof confirma que enquanto a crise na biodiversidade desencadeou extinções em massa noutros grupos de seres vivos, como os dinossauros, os insectos sobreviveram a diversas situações, adaptando-se às que iam surgindo, e não é em por acaso que representam o grupo de seres vivos maior do Planeta.

SIMILAR ARTICLES

NO COMMENTS

Leave a Reply