“Memórias da Emigração e das Comunidades” pede colaboração dos luso-venezuelanos

“Memórias da Emigração e das Comunidades” pede colaboração dos luso-venezuelanos

0 68

Numa perspetiva de reconhecimento e valorização do papel e contributo da diáspora portuguesa, no âmbito do programa de comemorações do 25 aniversário da Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (DGACCP), o governo português divulga a iniciativa “Memórias da Emigração e das Comunidades Portuguesas”. A ação tem por objectivo identificar, registar e de patrimonializar testemunhos orais, de memórias, de histórias e objetos sobre o papel e os percursos das Comunidades Portuguesas.

O Programa é desenvolvido pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa em conjunto com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, através da DGACCP e as Comunidades Portuguesas.

“A celebração deste aniversário, devida pela importância que essa entidade e as suas anteriores configurações representam relativamente a uma realidade tão relevante e estruturante da história e identidade nacionais, constitui uma oportunidade no sentido da valorização do patrimônio e da história da emigração e das Comunidades Portuguesa” declarou o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

José Luis Carneiro citou ainda que a iniciativa reconhece a experiência migratória que marca a sociedade portuguesa e herança cultural, e a contribuição da diáspora ao longo da história que “merece ser persistentemente renovada”.

A equipa do programa “Memória para Todos” pode ser diretamente contactada através do endereço eletrónico: participe@memoriaparatodos.pt ou através das redes sociais: www.facebook.com/memoriaparatodos e www.instagram.com/memoriaparatodos

Também no próximo mês de novembro, entre os dias 13 e 15, acontece o 1º Encontro Memória para todos: História, Patrimônio e Comunidades, em Lisboa. O evento vai reunir diferentes agentes, projetos e atividades empenhados na identificação, organização, curadoria, investigação e divulgação da memória e arquivos de e para comunidades.

“Em Portugal, uma crescente expansão e reconhecimento de projetos de investigação e iniciativas culturais e sociais que, a partir da memória, estimulam a participação da sociedade ao nível da colaboração, da co-criação e da disseminação do conhecimento, envolvendo tanto a academia, como associações e ONGs, arquivos, bibliotecas, museus, autarquias e redes informais de cidadãos” divulga o evento.

O encontro pretende também debater estratégias de envolvimento das comunidades e os seus impactos na construção de identidade e valorização coletiva e pessoal; o impacto da história, patrimônio e memória em processos de inclusão social, regeneração urbana e coesão comunitária; e boas práticas para o registro, preservação e divulgação de testemunhos orais e documentação de natureza privada, entre outros.

NO COMMENTS

Leave a Reply