Organize os documentos pela segurança da sua família

Organize os documentos pela segurança da sua família

0 13

Juan e Mariela regressam do funeral dum grande amigo sumidos na dor. Encontraram uma viúva que desconhece quantas contas bancárias possuía o defunto esposo, se possuía apólice de seguro de e a paradeiro dos documentos do apartamento e dos veículos. Os gastos do funeral foram cobertos por uma apólice funerária cuja existência, afortunadamente, era conhecida pelo seu sócio. Juan e Mariela arquivam cuidadosamente os documentos importantes para as suas vidas e decidem compartir esta rotina com os seus filhos.

Ao longo das nossas vidas, adquirimos activos que conformam o nosso património pessoal e familiar. No início, não damos importância às facturas e documentos de propriedade porque são poucos e, talvez, o desembolso de dinheiro não foi considerável. No entanto, a gestão dum arquivo evitará inconvenientes tanto a nós como aos nossos familiares ante circunstâncias como uma doença grave ou uma morte inesperada e prematura.

Sugere-se que todos os documentos sejam colocados no mesmo sítio, bem seja num escritório, uma gaveta ou numa caixa, assim como num formato digital que possamos partilhar com certas pessoas. Os chefes de família devem conhecer a sua localização e quem vive só deve informar uma pessoa de confiança. Os pais, já na terceira idade, devem indicar aos filhos onde estão guardados, como prevenção para a ocorrência e imprevistos como acidentes ou doenças graves.

Existem distintos tipos de documentos. Em princípio, os de identificação, como a cédula de nascimento, bilhete de identidade, passaporte, carta de condução, alguns dos quais levamos connosco a todo o momento. Temos os documentos relacionados com os produtos financeiros que usamos como contas e cartões de crédito e as facturas dos bens comprados que servem para tornar efectiva a garantia em caso de avaria durante a sua vigência.

Depois temos os títulos de propriedade de bens móveis e imóveis. Adicionalmente, temos as apólices de seguros de saúde, veículo, imóveis, seguros de vida e serviços funerários. Por outro lado, temos comprovativos de investimentos como planes de poupança, acções do mercado bolsista e contas a prazo. A isto somam-se os certificados de estudos, os exames e tratamentos médicos relevantes, especialmente face a condições especiais como diabetes, tensão alta ou demência.

Juan e Mariela convidam os filhos a rever cada uma das capas nas quais se encontram todos os documentos importantes da família. Indicam-lhes os nomes das pessoas às quais há que chamar em caso de emergência (agentes de seguros, advogados, sócios, familiares). E recordam o nome do tutor designado para o caso em que fiquem órfãos antes de chegar à idade adulta. Sabem que com esta atitude estão protegendo os filhos e ensinam-lhes como actuar ante uma emergência.

NO COMMENTS

Leave a Reply