Porto será anfitrião do primeiro congresso mundial da Diáspora Portuguesa

Porto será anfitrião do primeiro congresso mundial da Diáspora Portuguesa

0 35

A cidade do Porto vai ser a anfitriã do I Congresso Mundial de Redes da Diáspora Portuguesa, nos dias 13 e 14 de julho, que reunirá diversos protagonistas portugueses e luso-descendentes espalhados por todo o mundo e dos mais diversos setores de atividade. O evento é organizado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, e pela Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas, com o apoio da Câmara Municipal do Porto e da Ordem dos Contabilistas Certificados, para promover a reflexão sobre o trabalho realizado com as comunidades portuguesas e debater perspetivas futuras.

“Hoje, quando viajamos pelo mundo, encontramos muitos portugueses e luso-descendentes que chegaram a um nível de influência nas várias sociedades e atividades, que são muito relevantes”, disse o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, durante a sessão de apresentação do congresso, lembrando o papel de investigadores e empreendedores espalhados além-fronteiras.

“Por onde andamos, encontramos estas marcas e é bom que o Governo Português tenha reconhecimento desta grande oportunidade”, referiu o autarca, aludindo à metáfora de uma árvore que cresceu a partir “de uma raiz muito pequena” e de cujos frutos “é bom que saibamos tratar”.

Por sua vez, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas lembrou o contributo que a diáspora portuguesa dá ao país por todo o mundo, enquanto “um dos mais importantes alicerces de afirmação linguística, cultural, económica e empresarial, política e institucional” à escala global.

“A diáspora portuguesa tem vindo a ser vista como um ativo estratégico de afirmação de Portugal no mundo”, disse José Luís Carneiro, recordando que os 10 maiores países para onde mais crescem as exportações nacionais são os mesmos para onde têm também crescido mais os fluxos migratórios portugueses da atualidade (considerando a última década).

O encontro no Porto terá como objetivos a avaliação do trabalho desenvolvido com as várias redes externas, nomeadamente redes de apoio à língua e à cultura, de apoio a ciência e ao conhecimento, de cidadãos luso-eleitos, das comunidades portuguesas, dos órgãos de comunicação social da diáspora e as redes dos empreendedores.

“Reunir todas estas redes na cidade do Porto, avaliar o trabalho que tem sido desenvolvido com cada uma e termos uma leitura prospetiva para o futuro, ou seja, como poderemos dar outra eficácia de inserção de Portugal na vida internacional”, são os principais objetivos do congresso, conforme explicou o Secretário de Estado.

“O Porto tem essa marca histórica de porto de partida e de chegada e tem, de facto, um prestígio muito forte; tem o nome de uma fortaleza incrível e é mais do que evidente que faz todo o sentido que o encontro aqui seja”, declarou José Luís Carneiro.

Segundo o governo português, a intervenção de abertura do I Congresso ficará a cargo do Arcebispo D. José Tolentino de Mendonça, responsável pela Biblioteca do Vaticano e também poeta. Natural da Madeira, José Tolentino de Mendonça tem realizado uma reflexão relevante sobre a diáspora portuguesa e a sua importância para a inserção de Portugal no Mundo” divulgou o Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

As redes de portugueses espalhados pelo mundo “contam com luso-eleitos em diversos países, com as redes de investigadores que hoje se estão a organizar em todo o mundo, com as redes de câmaras de comércio e empresários portugueses, as redes das academias de bacalhau, com as redes dos centros de apoio ao imigrante em Portugal e no estrangeiro”, acrescentou José Luís Carneiro.

É a partir “do trabalho que desenvolvem singularmente, mas também a partir do trabalho que pode ser desenvolvido a partir de agora e no futuro trabalhando em conjunto para a integração das diferentes redes que poderemos dar outra eficácia às política de afirmação dos portugueses e de Portugal no mundo”, concluiu o secretário de Estado.

O evento que visa promover o diálogo e a cooperação reunirá representantes da diáspora em áreas como o associativismo, os lusos eleitos, os conselheiros das comunidades, os órgãos de comunicação social, os empreendedores e os investigadores universitários. Até ao final do mês de abril havia mais de 200 participantes inscritos nesta iniciativa, provenientes de 30 países.

Inscrições abertas

O modo de inscrição, e mais informações sobre o evento, podem ser encontradas no Portal das Comunidades Portuguesas:

https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/destaques/813-i-congresso-mundial-das-redes-da-diaspora-portuguesa

Programação do evento

Dia 13 – Sábado – Trabalhos do Congresso

09h30m – Sessão plenária de abertura com intervenções de convidados especiais

10h30m – Sessões de trabalho temáticas considerando aos seguintes grupos:

1 – Redes de Associativismo da Diáspora;

2 – Redes de Ciência e Conhecimento – Investigadores e Académicos da Diáspora;

3 – Redes da Economia e Desenvolvimento – Empreendedores da Diáspora;

4 – Redes de Cidadania – Luso Eleitos e Conselheiros das Comunidades Portuguesas;

5 – Redes Apoio Local – Gabinetes de Apoio ao Emigrante

6 – Órgãos de Comunicação Social da Diáspora

13h00m – Almoço volante

14h30m – Continuação dos trabalhos das mesas temáticas

17h30m – Sessão Plenária de Encerramento com os relatores dos grupos de trabalho e apresentação das recomendações e conclusões. Intervenções de encerramento.

20h00 – Jantar oferecido pelo Presidente da Câmara do Porto.

Dia 14 –Domingo – Programa Social promovido pelo Município.

NO COMMENTS

Leave a Reply