Rui Abreu ouviu conselheiros de África Do Sul, Europa, EUA e Venezuela

Rui Abreu ouviu conselheiros de África Do Sul, Europa, EUA e Venezuela

0 123

Rui Abreu, diretor regional das Comunidades e Cooperação Externa tem mantido o contacto regular com as comunidades. Desta vez, reuniu por videoconferência com os conselheiros das comunidades madeirenses na África do Sul, EUA, Europa e Venezuela.

A videoconferência realizada por Rui Abreu, diretor regional das Comunidades e Cooperação Externa, reuniu José António Gonçalves pela Europa, José Luís Silva pela África do Sul, Leonel Teixeira pelos EUA e Aleixo Vieira pela Venezuela. Nesta reunião, o diretor regional procurou inteirar-se da situação atual destas comunidades e como está a ser vivido o momento de pandemia mundial um pouco por toda a comunidade.

José Luís da Silva foi o primeiro a falar, afirmando que o ‘lockdown’ “tem sido penoso”. “Tenho observado campos ‘squatter’ (bairros de lata com muitas pessoas de raça branca), algo que pode vir a atingir a comunidade madeirense”. Nesta reunião afirmou também que para certa parte da comunidade, “este tempo tem sido uma tortura”, lamentando que “alguns negócios que estão encerrados, muito provavelmente, não voltaram a abrir”.

Leonel Teixeira pelos EUA, começou por falar no cancelamento das festas do Santíssimo Sacramento em New Bedford. Grandes festas que costumam atrair mais de 400 mil pessoas. Festa esta que acabou por ser cancelada e que tem agora no dia 1 de agosto de 2021 a nova data para se realizar.

Além disso, defendeu que os EUA têm uma dimensão à parte que, “apesar de serem o país com mais mortes por Covid-19”, o número de mortos em proporção “coloca-os um pouco mais abaixo nesta classificação”.

Seguiu-se José António Gonçalves pela Europa, que começou por dizer que “os números na Bélgica são animadores, o que mostra que a situação está aparentemente controlada”. Além disso, “as consultas e operações estão de regresso, mas não foram retomados os restaurantes, cafés e bares, com a decisão a ficar para o dia 8 de junho”.

Como havia feito num anterior contacto com o JM, voltou a elogiar o “trabalho de aproximação da Direção Regional das Comunidades e Cooperação externa”, afirmando que “a forma como a Madeira está a lidar com a pandemia deveria merecer uma maior divulgação e mais mediatismo”.

Seguiu-se Aleixo Vieira pela Venezuela, que se debruçou sobre o grande aumento de casos de infeção por Covid-19 no país, nas duas últimas semanas. Atualmente são à volta de mil os casos positivos de Covid-19, explicando que os mesmos se devem ao grande número de venezuelanos que estão a regressar por via terrestre desde a Colômbia e o Brasil. Aleixo Vieira explicou ainda que, para contrariar esta situação a Venezuela está a isolar estas pessoas durante 18 a 20 dias de modo a prevenir possíveis contágios.

Vieira explicou que os madeirenses estão na linha da frente em termos de atividades comerciais, sejam nos supermercados, padarias, mercados ao ar livre, e que os mesmos cumprem o seu dever ainda que com horários mais reduzidos.

NO COMMENTS

Leave a Reply