Cônsul Honorário de Portugal no Estado de Nueva Esparta foi uma figura exemplar

A comunidade portuguesa radicada na Ilha de Margarita, Estado de Nueva Esparta, registou uma grande perda a 22 de Setembro de 2014 com o falecimento do então Cônsul Honorário de Portugal na localidade, João Nolasco. Mensagens de afecto e manifestações de solidariedade multiplicaram-se nas redes sociais, numa demonstração de elevada estima, tanto por parte de portugueses como de venezuelanos, por um homem consideravam exemplar e que deixou este mundo após travar uma batalha contra o cancro.
Nolasco deixou um grande legado aos portugueses radicados na ilha e arredores, já que durante muitos anos actuou como um dos grandes impulsionadores da vida associativa e serviu de veículo de transmissão de informação constante aos seus conterrâneos em matéria de assuntos consulares.

João Duarte Nolasco nasceu a 13 de Maio de 1931, em Fermentelos, concelho de Águeda, região de Aveiro, filho de João Simões Nolasco e Maria Duarte Timoneo. Emigrou para a Venezuela a 9 de Setembro de 1954, estabelecendo-se na ilha de Margarita, Estado de Nueva Esparta, onde veio a desempenhar um papel fundamental no Centro Social Luso Venezuelano e exercer funções de Consulado Honorário de Portugal desde Janeiro de 2004. À hora do adeus, o seu nome figurava como presidente do mencionado clube lusitano.

“Nos anos em que liderou o consulado em Margarita,  sempre tratou de ajudar a comunidade portuguesa no que estava ao seu alcance. Além disso, não só era um cônsul, como também um grande amigo para muitas pessoas. Era muito carinhoso e sempre tentava ajudar com o que fosse necessário a quem precisava, com algum tipo de ajuda ou informação”, assegurou Gloria Dos Santos, a sua mão direita no consulado e que então assumiu as rédeas do mesmo, no qual se encontram inscritos, aproximadamente, 1.300 portugueses.

 

Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

NO COMMENTS

Leave a Reply