Albuquerque defende extinção de entidades que nada fazem para controlar preços da TAP

0
16

Miguel Albuquerque encerrou as jornadas parlamentares do PSD e CDS com o Governo Regional, com a proposta de Orçamento Regional em análise.

O presidente do Governo Regional começou por afirmar que os últimos seis anos de Governo Central «foram tempo perdido para o país», com o empobrecimento da população e o menor investimento feito por um executivo central em Portugal.

«Ainda bem que o Governo caiu e que surja como consequência uma alternativa política para um novo ciclo», sustentou Albuquerque, criticando ainda a ‘venezuelização’ verificada no País, por medidas socialistas.

Miguel Albuquerque acusou ainda a relação «esquizofrénica» que o PS tem para com a Madeira, com «a perseguição politica motivada pelo ressabiamento» de nunca terem ganho as eleições na Região.

Deu os exemplos do CINM e dos preços elevados cobrados pela TAP para a Madeira, em mais de mil euros.

A este nível, criticou as entidades fiscalizadoras e reguladoras, ANAC e Autoridade Nacional da Concorrência que nada fazem para corrigir esta situação. Devem ser extintas, defendeu ainda. «O quê que se passa? O que têm a dizer o Presidente da República e o primeiro ministro ainda em funções sobre esta vergonha?», questionou Albuquerque reafirmando que mais de 1080 euros cobrados pela TAP para 900 quilómetros entre o continente a Madeira «é uma vergonha».

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here