Albuquerque volta a caracas como presidente governo

0
692

Agostinho Silva
asilva@dnoticias.pt

Miguel Albuquerque regressa na próxima semana a Caracas, pela primeira vez investido das funções de presidente do Governo Regional da Madeira. O chefe do Executivo madeirense faz-se acompanhar de uma comitiva empresarial numa missão político-económica dirigida à Comunidade luso-venezuelana. A visita engloba também uma deslocação a Miami.

Albuquerque chega no fim-de-semana a Caracas. No domingo participa num almoço no Centro Português, para o qual estão já inscritos cerca de 900 pessoas oriundas de várias partes da Venezuela. Apesar da situação político-económica que vigora no país, o governante madeirense fez questão de regressar ali para expressar a confiança numa das mais representativas comunidades portuguesas em todo o mundo. Recorde-se que, na qualidade de autarca e noutras alturas mais favoráveis, Albuquerque marcou presença por variadíssimas vezes junto da Comunidade madeirense; agora, perante um cenário de muitas incertezas, o político regional mantém a mesma confiança nos seus conterrâneos.

Após a recepção apoteótica no principal clube português da Venezuela, no domingo, Miguel Albuquerque e a comitiva empresarial participam na segunda-feira na conferência “A Madeira e o Futuro”, no Hotel Pestana Caracas, uma iniciativa da Câmara de Comércio Luso-Venezuelana, BANIF e DIÁRIO de Notícias da Madeira.

Para além do presidente do Governo madeirense, na conferência intervêm também representantes do CINM-Centro Internacional de Negócios da Madeira (Roy Garibaldi) e da APM-Associação de Promoção da Madeira (Roberto Santa Clara), antes de um debate moderado pelo director do DIÁRIO, Ricardo Miguel Oliveira. O encerramento da conferência ficará a cargo dos representantes do BANIF.

Em Caracas a comitiva madeirense participa ainda em mais uma tertúlia da Academia do Bacalhau, na qual são esperados mais de 300 empresários de diversos ramos de actividade. A Academia do Bacalhau é uma das instituições da Comunidade mais activas sobretudo na arrecadação de receitas para financiar diversas obras de cariz social, como é exemplo o Lar de Idosos em Los Anaucos ‘Pe. Joaquim Ferreira’.

Depois da Venezuela, Albuquerque e comitiva empresarial seguem para Miami, onde se fixou uma importante e poderosa comunidade portuguesa. O governante tem encontros marcados com investidores e empresários, bem como a reedição da conferência ‘A Madeira e o Futuro’, desta vez sob a organização do Ocean Bank.

BANIF sempre presente

O BANIF volta a estar presente junto da Comunidade luso-venezuelana, como sempre tem feito nas últimas décadas. David Correia, director comercial daquela instituição bancária na Madeira, recorda que “a relação do BANIF com a comunidade emigrante confunde-se com a própria história do banco.” E explica porquê: “Não fosse o BANIF o único banco com sede na Região Autónoma da Madeira, de onde partiram muitos madeirenses, para a diáspora.”

Uma razão bastante forte que torna a comunidade emigrante “um pilar na história e na estrutura do BANIF.” Por forma a estar mais próximo dos seus clientes emigrantes na Venezuela, o banco madeirense mantém desde há 20 anos – inauguração em 1995 – um Escritório de Representação em Caracas que “se tem revelado fundamental na política de evolução do Banco e é um ponto de contacto bastante importante da comunidade com o seu banco e a Região.”

Desde 2014, o Escritório de Representação do Banif na Venezuela é liderado por Renato Escórcio que depois de fazer um percurso na área comercial do banco na Região, dá agora seguimento à política de proximidade e apoio do banco à comunidade emigrante.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here