Alemanha e Portugal superfavoritos

0
658

Por Pedro Ricardo Maio

Nesta série de trabalhos especiais rumo ao Mundial da Rússia 2018, decidimos saber a opinião de três jornalistas e comentadores, com experiência na cobertura do futebol nacional e internacional, sobre o evento mais esperado por todos os fãs.

Giancarlos Figliulo será um dos locutores de Unión Radio e de IVC no encontro, sendo considerado um dos jornalistas mais incisivos e críticos no futebol nacional, utilizando sempre muito bons argumentos para sustentar cada opinião. Filho de um dos árbitros mais importantes da modalidade ao nível nacional, Pasquale Figliulo, Giancarlo dá-nos a sua visão poucos dias antes do apito inicial.

Quais são as suas expetativas para este mundial?

Vai ser um mundial com muitas figuras e isso acaba sempre por iludir, como com Cristiano Ronaldo, embora Portugal não seja uma das equipas favoritas. E Neymar, com uma seleção brasileira que quer reivindicar fracasso em casa, por exemplo. Estamos sempre atentos para ver se há alguma surpresa, como a Bélgica ou até mesmo o Egipto, na representação africana.

Quem levantará a Taça?

O Brasil tem tudo para vencer e chega com fome. A chegada de Tite À bancada foi importante e a equipa ficou orientada, alinhada desde Allison até Neymar, passando por Marcelo, Gabriel Jesús, vendo-se sólidos de tal forma que podem vencer noutro continente.

Até onde chega Portugal?

Portugal deve chegar até às semifinais sendo campeão europeu, dependendo, contudo, claro dos cruzamentos. Com Fernando Santos a equipa possivelmente não brilha, mas é efetivo e consegue o que outras gerações não conseguiram. Em poucas palavras, não vejo Cristiano Ronaldo levantar a Taça do Mundo, assim como Messi.

A TEMÁTICA DA SEGURANÇA

A residir em Miami, Bruno Gómez recebeu novamente o convite para fazer parte da família da Unión Radio e fazer parte do staff do canal por cabo IVC que vai emitir 32 jogos do mundial.

Quais são as suas expetativas para este Mundial?

As expetativas que tenho sobre o Mundial não na parte desportiva pois penso que neste âmbito dificilmente nos vai dececionar. Receio que a organização tenha que ser muito exigente, pois lamentavelmente todos temos receio por causa dos atentados que têm surgido na Europa, as ameaças e o terrorismo. A Rússia está a ser posta à prova para montar um grande evento, logo depois da Taça Confederações, que é um torneio muito menor quando comparado o que que terá depois.

E quem acha que vai levantar a Taça?

A Alemanha, a Espanha e o Brasil são os três candidatos, talvez há alguns meses diria que a equipa de Joachim Low não teria rival, mas as diferenças estreitaram-se com a grande campanha do Brasil na Conmebol e Espanha que parecera ter montado uma equipa muito boa sem muito ruído, mas com jogadores na elite.

Até onde chega Portugal?

É uma seleção que depois da Taça da Europa mudou tudo e deve ser tida em conta. Gosto desta seleção de Portugal não tanto pelo seu estilo, mas pela sua garra, pela sua entrega e pelo valor que Cristiano Ronaldo tem. Pelo que não me parece estranho vê-lo na semifinal.

BRASIL TEM O MELHOR DO MUNDO

Octavio Sasso é outro dos muitos venezuelanos que tem levado seu talento para o exterior e hoje faz parte da equipa de Blu Radio e da Caracol TV na Colômbia. Com uma carreira que lhe permitiu fazer parte de canais importantes na Venezuela e cobrindo mundiais (RCTV, Televen e Venevisión), hoje dá-nos sua visão sobre o mundo.

Quais são suas expetativas?

Apesar das ausências da Itália e da Holanda, veremos muitas seleções com jogadores no seu horário auge, como Argentina, Brasil e Portugal. E as expetativas são muito altas, esperando um grande evento.

E quem levanta a Taça?

Sem dúvida que o Brasil é o grande favorito, apesar da lesão de Dani Alves. É a seleção que mais bem joga futebol. Depois, há seleções como Alemanha, Espanha, França e Argentina, que acredito que, embora não sejam muito aclamadas, estão sempre entre as cinco seleções mais importantes.

Até onde vai Portugal?

Cristiano Ronaldo conseguiu juntar uma equipa que, apesar de não jogar um grande futebol no Euro, não era candidato. Conseguiram vencer na hora certa e com o «9» como figura, embora no final não pudesse jogar a final, levantaram a taça. Portugal vai superar o primeiro round, mas a partir de então acho que vai ter problemas porque não vejo uma equipa coesa.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here