Amorim reconhece que não é o melhor exemplo, mas diz que ruído pode dar jeito

0
29

O treinador do Sporting, Ruben Amorim, reconheceu que não tem sido “o melhor exemplo” em relação a alguns excessos, mas advertiu que não falar de futebol após alguns jogos “pode dar jeito”.

Em conferência de imprensa de antevisão da partida frente ao Nacional, o técnico prometeu “tentar melhorar” esse aspeto, mas frisou que a falta de público nas bancadas “é um fator muito importante” e que, por isso, “existem alguns excessos”.

“Falar de outras coisas também dá jeito, às vezes. Não falar dos resultados, dos pontos de avanço, dos pontos que faltam, pode ser uma distração para não se focar no essencial. Faz parte do jogo, não é de agora, portanto o que temos de fazer é cada um olhar por si”, comentou o técnico dos ‘leões’.

Sem se deter, Ruben Amorim repetiu que não tem sido “o melhor dos exemplos” e que vai tentar “melhorar”, assegurando também que não se sente “no direito de dar lições de moral a ninguém”.

“Todos o fazemos, todos vivemos essa pressão e, portanto, o que me cabe dizer é que vou tentar melhorar. Faço o meu máximo, acreditem ou não, e vou ser melhor no futuro”, prometeu.

Mais tarde, o técnico voltou ao assunto para frisar que o foco está “no treino, no jogo”, mas também assumindo que “depois as emoções levam para sítios” não desejados, mas assegurando que objetivo é sempre “ganhar jogos, conquistar coisas para o Sporting e ajudar o clube a crescer”.

“O nosso foco está aí, sabendo que tanto nós como outros clubes temos tido alguns excessos e acho que tem muito a ver com a falta de público. Se fosse um caso isolado, se fossem apenas duas equipas, mas acontece constantemente. Não estou a desculpar nada, não estou a dizer que está certo ou errado, mas por alguma razão é”, concluiu Ruben Amorim.

No domingo, o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, foi expulso pelo árbitro Hugo Miguel após o empate (1-1) no terreno do Moreirense, que deixou os ‘dragões’ a seis pontos do Sporting, na frente da I Liga.

Os incidentes prolongaram-se para fora das quatro linhas, com uma alegada agressão de um empresário com ligação ao FC Porto, Pedro Pinho, a um repórter de imagem de uma estação televisiva.

Já esta semana, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de futebol castigou Sérgio Conceição com 21 dias de suspensão, motivo pelo qual o treinador do FC Porto estará ausente do banco durante quatro jogos.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here