Finanças pessoais instantâneas: «As crianças devem conhecer o dinheiro»

0
1022

Andreina e Argenis preparam-se para celebrar o primeiro aniversário do Carlitos, o seu único filho. Recordam a sua experiencia e passam em revista aspectos que consideram importantes na sua formação, como os valores e a busca do seu propósito de vida. Pensam que é fundamental que tenha uma boa relação com o dinheiro que sempre estará presente na sua vida Quantos padres educam os seus filhos em temas de dinheiro?

Um dos melhores legados que um pai pode deixar à sua prole é a cultura financeira. As crianças que conhecem como os seus pais obtém dinheiro, os benefícios que este oferece e as consequências que advém de ser o gastar de maneira desordenada, serão adultos capazes de gerir a sua vida económica com inteligência. Para quem não utiliza um orçamento mensal será difícil chegar com tranquilidade ao final do mês e, mais ainda, conseguir poupar.

Em princípio, é essencial ensinar-lhes a apreciar o dinheiro. Os pais querem que os seus descendentes sejam prósperos e tenham uma boa qualidade de vida, o que está relacionado com a cultura de prosperidade. Eles têm direito a saber, desde pequenos, que o dinheiro é fruto de uma profissão ou ofício, assim como a conveniência de guardar parte do que é recebido para emergências ou para investir.

As crianças têm a capacidade de compreender que os adultos recebem um montante determinado de numerário cada mês e que os gastos não devem exceder essa quantidade. É fundamental evitar o uso de adjectivos depreciativos ao fazer referência ao dinheiro, assim como informar que à medida em que venham a converter-se em pessoas produtivas, poderão suportar os seus gastos e poupar para criar o seu próprio património pessoal.

Quando os filhos estão conscientes dos recursos materiais que possuem e da capacidade das pessoas para gerar receitas, crescerão com uma atitude de prosperidade. Estarão na condição de desfrutar o que possuem, preparar-se-ão para aproveitar as oportunidades que venham a surgir na vida e percorrerão o caminho que os levará à satisfação das suas necessidades com a certeza de que sempre contarão com os recursos para o efeito.

Andreina e Argenis gerem com precaução as suas receitas. Possuem objectivos claros de curto, médio e longo prazo que servem de norte na hora de planear, poupar e investir. Esforçam-se em ser bons profissionais porque fazem o que gostam e isso tem lhes permitido gerar bons rendimentos. Querem que Carlitos viva uma vida plena e por isso dão muito valor à sua educação e formação.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here