Associação de Professores será oficializada em Outubro

Docentes de língua portuguesa iniciam cruzada pela expansão do ensino da língua de Camões na Venezuela

0
1016

Três meses. Este foi o tempo necessário para que o I Encontro de Professores de Português na Venezuela, realizado no passado 5 de Julho, produzisse os frutos desejados. No corrente mês de Outubro, a comunidade luso-venezuelana verá nascer a “Associação Venezuelana para o Ensino da Língua Portuguesa” (AVELP), que estará conformada por representantes das diversas instituições, escolas e cursos do idioma lusitano em terra de Simón Bolívar.

O anúncio foi feito por Rainer Sousa, Coordenador do ensino do Português na Venezuela do Instituto Camões e promotor do Encontro, após uma reunião com um grupo de 18 professores, no passado, domingo 5 de Outubro, nas instalações da Associação Civil Centro Português, em Caracas.

No encontro marcaram também presença os advogados que se encontram a redigir os estatutos e a assessorar os docentes na constituição desta esta importante associação.

Numa primeira instância, a reunião serviu para discutir os estatutos nos seus mais diversos âmbitos e acordar a forma como será eleita a direcção que assumirá os destinos da associação. Neste sentido, foi nomeada uma comissão ‘ad hoc’ que se encarregará de receber as propostas de instituições e pessoas para ocupar determinados cargos na direcção do organismo. A comissão, conformada por Janny Moreira, Enrique de Sá, Karina De Oliveira, Jenny de Melo e Rainer Sousa, receberá as propostas até ao dia 25 de Outubro e, posteriormente, procederá à realização da contagem e atribuição de cargos.

A junta directiva da associação estará conformada por nove pessoas: Presidente; Primeiro Vice-presidente; Segundo Vice-presidente; Primeiro Tesoureiro; Segundo Tesoureiro; Primeiro Secretário; Segundo Secretário; Terceiro Secretário; e Director Executivo.

Sousa mostrou-se optimista e agradeceu a resposta positiva que a iniciativa mereceu no seio dos professores portugueses de todo o país. De igual maneira, aproveitou a ocasião para ressaltar o grande trabalho realizado pelos mesmos durante a temporada escolar 2013-2014, durante a qual 74 alunos receberam a sua Certificação das Aprendizagens do Ensino Português no Estrangeiro (EPE) na sequência da realização dos exames oficiais em três centros de ensino no país. A Venezuela, saliente-se, foi considerada o segundo país com melhor média a nível mundial nestas certificações, só sendo superada pela França.

No final da jornada, o director de cultura do Centro Português, Alberto Viveiros, prometeu o apoio da instituição que representa para desenvolver a associação e integrar a sua direcção executiva. “Com esta proposta, a ideia é dar força para o arranque do projecto, para que depois caminhe sozinho. No seio do Centro Português, queremos que os professores de todo o país sintam confiança e saibam que é uma iniciativa séria e com muito futuro, para o benefício da nossa comunidade. O CP trabalha para conservar os costumes e tradições portuguesas, tal como muitas outras instituições. Somos o clube pioneiro no ensino da língua portuguesa, com quase 17 anos. Neste momento estamos prestes a superar os 500 alunos inscritos para o novo período académico, contando com 12 professores para o ensino. Temos a experiência e confiamos que esta associação dará grandes resultados”, disse o director de cultura.

Espera-se que no sábado, 25 de Outubro, seja promovido um novo encontro, no qual já deverá ser efectuada a contagem de candidaturas e anunciada oficialmente a junta directiva, como também sejam promulgados os estatutos para dar início formal à nova associação.

Artículo anteriorPassos quer «participação mais empenhada» de empresas
Artículo siguienteMundialito no Centro Português
Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here