Até uma gota é importante

Eco-Alianza existe para alertar as consciências para o meio ambiente, promover as belezas naturais e trabalhar para a humanidade

0
982

Jean Carlos de Abreu
jabreu@correiodevenezuela.com

Cuidar do ambiente e dar a conhecer as belezas naturais da Venezuela é o trabalho desenvolvido por António Pestana Drumond, que vive no país há mais de 25 anos. É filho de emigrantes oriundos do Porto Santo e da Ribeira Brava.

António Pestana é o presidente da empresa Eco-Alianza, que se dedica a criar pacotes e projectos turísticos especializados na Natureza. É uma empresa pioneira no género, pois representa, assessora, promove e agrupa as comunidades, empresas e projectos dedicados ao ecoturismo no país.

Pestana contou que depois de passar por várias etapas na sua vida e viver em vários países, decidiu isolar-se durante dois anos na selva, “onde aprendi a importância de valorizar a Natureza e não depender da tecnologia para sobreviver.” Foi com “o simples facto de ter vivido na selva sem nenhuma comodidade que comecei a dar importância à Natureza e a valorizar o meio ambiente”, acrescentou.

Em finais de 1999, viveu em várias cidades dos Estados Unidos, onde montou uma empresa de ecoturismo, com programa de viagens à Venezuela para visitar as maravilhas que há no país.

Durante a sua permanência na cidade de Margarita, trabalhou numa companhia aérea “onde fiz mais de 200 voos por ano a zonas de selva. Aterrávamos em diferentes solos e áreas. Depois fui guia turístico.”

“O meu começo foi na Venezuela”
António Pestana emigrou, vindo de Portugal para a Venezuela com 15 anos. Chegou a Maracay, estado Aragua, onde começou a trabalhar com familiares como vendedor na área da confeitaria. “Percorri toda a Venezuela. Já conhecia muito porque tinha que estar constantemente a viajar por todo o território nacional para levar o produto aos nossos clientes”, acrescentou.

Este português representou ainda a Casa Portuguesa do estado Aragua no futebol, uma vez que este desporto é a sua outra paixão. “Depois mudei-me para Puerto Ordaz, mas devido a uma mudança na minha vida, comecei a conhecer este mundo da ecologia. O meu começo como ecologista e aventureiro foi na Venezuela.”

Como parte do seu projecto em prol da ecologia e do ecoturismo, António Pestana teve um programa de rádio durante seis anos, na emissora Jazz 95.5 FM, sobre ecoturismo, “e depois meti-me num programa de televisão pela Internet. Há um projecto para a televisão por cabo. É um projecto que está em conversações, mas vai acontecer”, disse.

O responsável pela Eco-Alianza assegurou que “queremos deixar algo com toda esta experiência. Como dizia a Madre Teresa de Calcutá, ‘Nem que seja apenas uma gota, esta tem uma grande importância’, e devemos contribuir nem que seja com uma gota para conseguirmos o que queremos”.

Eco-Alianza e a conservação

A visão da empresa de Pestana é contribuir para o posicionamento da Venezuela como marca ecoturística no mercado nacional e internacional, incorporando áreas que impliquem: A promoção do ecoturismo sustentável; a protecção do ambiente; o desporto; o patrocínio de actividades científicas; o desenvolvimento pessoal e organizacional através da educação; a capacitação e a formação dos recursos humanos; o resgate cultural; a participação no processo de grupos étnicos e comunidades locais; a comercialização do ecoturismo e a criação de mecanismos que gerem segurança e conforto dos visitantes. No que diz respeito à sua missão, garante que é ajudar ao desenvolvimento do ecoturismo sustentável na Venezuela.

Recentemente, a empresa ministrou o curso de guias do Jardim Botânico de Caracas no módulo ‘Guia em Ecoturismo Venezuelano 2010’. Participou como formadora nos workshops organizados em conjunto com o ´Proturismo’, do programa de sensibilização turística nacional dirigido aos taxistas (como primeira força laboral nacional em receber e atender o turista, daí a importância do projecto) e às forças vivas nacionais (polícias regionais ou municipais, polícia de trânsito ou turística, trânsito terrestre, protecção civil, bombeiros, armada costeira, guarda nacional, exército, entre outros), em vários estados. Aconteceu através da INATUR (responsável pela área de capacitação e promoção), do Ministério do Poder Popular para o Turismo (MINTUR), e foi apoiado pelos Fundos Mistos locais.

Para além disso, a Eco-Alianza liderou a renovação da Declaratória do Ecoturismo da Venezuela (DEVG-2002) com o apoio do MINTUR, em 2009. “Tudo isto se conseguiu com o apoio da Câmara de Turismo do estado Mérida e a Fundação ‘Os Guardiães da Biodiversidade’”, disse António Pestana.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here