Bispo de Aveiro destaca dever no acolhimento a estrangeiros e refugiados

0
23

O bispo de Aveiro, António Moiteiro, sublinhou em Fátima, que a preocupação pelos necessitados, nomeadamente o acolhimento aos estrangeiros e refugiados, sempre fez parte dos deveres dos cristãos.

“A centralidade do amor na vida das comunidades dos discípulos de Jesus deu lugar (…) a formas muito concretas de ajuda social”, afirmou António Moiteiro, concretizando que “a preocupação pelos necessitados, a atenção aos doentes, o acolhimento aos estrangeiros e refugiados, a assistência aos presos e o cuidado com os mais pequenos e débeis sempre fizeram parte do discipulado cristão”.

“Esta relação pessoal e experiência vital das obras de amor (…) foram para muitos o caminho para descobrirem a verdade do Evangelho e a motivação inicial para o caminho” para o acolhimento, disse o presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé, que sublinhou “a situação dramática” sofrida pelos afegãos, que é um fator de interpelação “a viver um amor mútuo como forma essencial do ser cristão”.

Na homilia da missa da peregrinação aniversária ao Santuário da Cova da Iria, António Moiteiro disse ainda que “o convite à conversão está no centro da mensagem de Fátima” e que “a conversão e a penitência, bem como a adoração”, são “elementos fundamentais da mudança de vida pedida pelo Evangelho”.

Já na noite de domingo, na celebração da palavra no recinto do Santuário, o prelado afirmara perante os peregrinos presentes que “peregrinar, caminhar juntos”, leva os cristãos a saírem de si próprios e a abrirem-se aos outros, “escutando-os e partilhando a própria existência, com o espírito missionário e sinodal que se espera hoje da Igreja”.

A peregrinação de setembro, quinta do ano pastoral, está a ser celebrada sob o tema “Louvai o Senhor, que levanta os fracos” e mantém as regras de segurança e acolhimento em vigor no Santuário de Fátima, que se baseiam no que está articulado entre a Conferência Episcopal Portuguesa e as autoridades de saúde para a celebração do culto público.

Segundo informação do Santuário de Fátima, nesta peregrinação estão presentes quatro grupos organizados estrangeiros — dois de Espanha, um de Malta e outro da Polónia –, além de um da diocese de Lisboa.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here