Cafôfo: “Vamos mudar para melhor sem medo”

0
19

Paulo Cafôfo lançou, esta tarde, um derradeiro apelo ao voto no PS no próximo domingo, garantindo que este é o único partido que pode transformar a Madeira e salientando que “não pode haver medo quando a mudança é para melhor.

Numa resposta clara a Miguel Albuquerque, que nesta reta final da campanha tem instigado o discurso do medo e a chantagem junto da população, dizendo que toda a gente vai pagar caro se o PSD não ganhar as eleições, o candidato do PS às eleições regionais assegurou que “os madeirenses não aceitam ameaças seja de quem for, porque não nos agachamos nem deixamos que a ameaça se transforme em medo”.

No comício de encerramento da campanha, no Parque de Santa Catarina, Paulo Cafôfo lembrou que os madeirenses já têm pagado muito caro, lembrando os 900 milhões de euros gastos em obras inúteis, os 33 milhões de euros gastos por ano em tachos do Governo Regional e o facto de pagarmos mais impostos do que os açorianos. “Nós temos pagado caro, mas está na hora de dar o troco”, afirmou, apelando ao voto no PS para retirar o PSD do poder.

Como frisou, aquilo de que os madeirenses devem ter medo é de que continue tudo na mesma, dando conta do facto de, devido à governação social-democrata, muitas pessoas trabalharem e não terem dinheiro no bolso, não terem acesso a consultas ou cirurgias, não poderem ter uma casa, não poderem dar uma educação melhor aos seus filhos, por não terem capacidade de pagar as creches e as propinas. “Vamos dar uma resposta com a coragem de votar diferente, de votar no PS”, desafiou o líder socialista, salientando que “não pode haver medo quando a mudança é para melhor”.

Paulo Cafôfo elencou alguns dos principais compromissos do partido, garantindo que, se for Governo, o PS irá criar uma garantia pública ao financiamento a 100% para a compra da primeira habitação, aumentar o apoio ao arrendamento, baixar o IRS e o IVA para as taxas mínimas, assegurar a gratuitidade das creches, o fim das propinas para o estudantes madeirenses no ensino superior, reduzir as listas de espera na saúde, aumentar os rendimentos dos agricultores, subir o subsídio de insularidade para todos os funcionários públicos para os 5%, reduzir os pontos SIADAP para acelerar a progressão nas carreiras e aumentar para 150 euros por mês o Complemento Regional para Idosos. “Isto é mudar para melhor”, evidenciou, recebendo fortes aplausos.

Como referiu, trata-se de muitas medidas, porque são muitos os problemas deixados durante 48 anos pelo PPD/PSD, razão pela qual é necessário mudar a página na Madeira. Algo que, vincou, só é possível com o PS. “Hoje, Miguel Albuquerque disse que já falou com o Chega”, avisou, lembrando que o voto no Chega, no CDS, no PAN ou na Iniciativa Liberal “é um voto em Miguel Albuquerque e no PSD, continuando tudo na mesma. “Desta vez não vão enganar os madeirenses”, disse, aludindo ao facto de, em 2019, o CDS ter dado a mão ao PSD e de, em 2023, ter sido necessário também o apoio parlamentar do PAN.

Paulo Cafôfo fez também questão de salientar que quem criou esta crise política foi o PSD, fazendo notar que Miguel Albuquerque está descredibilizado e é o rosto da instabilidade. O PS, por seu turno, representa a estabilidade e a confiança no futuro da Madeira.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here