Caracas, Miranda e Valencia comemoram Nossas Senhoras do Monte e da Saúde

As direções do Centro Português e Centro Social Madeirense celebram a tradição

0
794

Uma vez mais, a Associação Civil Centro Português, localizada no setor Macaracuay do este de Caracas, promove uma festa com o melhor estilo luso, com a finalidade de ressaltar os costumes e a idiossincrasia do povo ibérico.Trata-se do arraial em honra à Nossa Senhora do Monte e Nossa Senhora da Saúde, que terá lugar no domingo dia 14 de agosto, a partir do meio-dia, na área da Fuente de Soda.

A jornada inicia-se às 12h00 com a tradicional missa, dirigida pelo Padre Alexandre Mendonça, para posteriormente dar lugar à festividade que incluirá a venda de alguns pratos e bebidas típicas de Madeira e Continente, assim como também a apresentação de grupos folclóricos, músicas de dança e outras surpresas.

O Diretor de Cultura do Centro Português, José Alberto Viveiros, assegurou ao CORREIO que para além da situação do país é importante fazer um esforço e impulsionar este tipo de atividades, pois nelas está a continuidade e o futuro da comunidade luso-venezuelana. «Comemorar os nossos santos é uma demonstração de fé e agradecimento, mas acima de tudo uma forma de transmitir esse legado tão bonito aos nossos filhos e netos, ara que num futuro sejam eles que continuem a artilhar a cultura, os costumes, as tradições, as crenças e tudo o que constitui a idiossincrasia do povo português», sentenciou.

Por sua vez, o Centro Madeirense levará a cabo, no próximo sábado dia 20 e domingo 21 de agosto, as “Festas de Nossa Senhora do Monte – Fé, Tradição e História”. As comemorações iniciam-se no sábado, a partir das 19h30, com a apresentação de shows musicais, um bazar madeirense e um encontro de despiques, um género popular na ilha de Madeira, característico pelo seu canto improvisado.

No domingo 21 de agosto, a partir das 16h00, realiza-se a missa, seguida por uma procissão com os fiéis pelos espaços do centro social. Às 16h00, terá lugar uma festa, a qual será animada por grupos folclóricos, que aproveitarão oportunidade para enaltecer o melhor da ilha da Madeira com as suas danças populares. A jornada termina às 21h00 com um espetáculo de fogo-de-artifício e balões de desejo.

Finalmente, o Centro Marítimo de Venezuela também vai honrar Nossa Senhora da Saúde com uma grande festividade que incluirá o grupo venezuelano “La Quinta Escala”, para além de degustar uma grande variedade de pratos e bebidas típicas lusas. O encontro é domingo dia 21 de agosto, a partir das 12h00, no clube localizado no sector de Turumo do Estado Miranda.

Nossa Senhora do Monte: Um pouco de história

São várias as lendas de Nossa Senhora de Fátima que passaram de geração em geração. Não existem documentos que fixem a data da lendária aparição da Virgem a uma jovem no Terreiro da Luta, mas poderá ter ocorrido em Outubro de 1477.

Quando se deu a aparição, já existia a Capela de Nossa Senhora da Encarnação, mandada construir por Adão Gonçalves Ferreira em 1470. Reza a história que uma menina brincava durante toda a tarde com uma pastorinha desconhecida, que lhe ofereceu uma merenda. A pequena contou a história aos familiares, ao regressar a casa, mas não acreditaram nela porque nesse recanto tão afastado da povoação, era pouco provável que se encontrasse uma pastorinha. No dia seguinte, voltou a acontecer a mesma coisa. Ao terceiro dia, o pai decide seguir a filha e ficou perplexo ao ver que a pequena falava e brincava com uma imagem da Virgem Maria, que se encontrava sobre uma rocha. O homem decide contar a história às autoridades, que colocaram a imagem na Capela de Nossa Senhora da Encarnação.

Outra lenda surgiu em Outubro de 1566, quando estando de viagem em Lisboa o 5.º Capitão Donatário do Funchal, Simão Gonçalves da Câmara, chegaram à Madeira 1200 corsários franceses da religião de Calvino que invadiram e saquearam a ilha. Os hereges, na sua fúria de destruição, foram à Igreja de Nossa Senhora do Monte. Um deles agarrou na imagem da santa e lançou-a com força pelas escadas de pedra, mas a imagem ficou intacta. À terceira tentativa, uma lasca de pedra saltou e penetrou no coração do homem, matando-o instantaneamente.

Finalmente, mas não menos importante, também passou de geração em geração o caso que ocorreu na Ribeira das Cales. Ali, a água que corria caudalosamente era aproveitada para regar os campos e para uso doméstico. Inexplicavelmente, a ribeira secou, pelo que a população decidiu levar a imagem de Nossa Senhora do Monte até à nascente, onde, repentinamente, a água apareceu de novo, e em grande volume.

 Nossa Senhora da Saúde: Um pouco de história

Tradicionalmente invocada pelos doentes, tornou-se particularmente cultuada a partir dos finais do século XVI, sendo-lhe atribuída a intervenção miraculosa que levou ao fim de vários surtos de peste ocorridos em Portugal. Em sua honra, nas povoações libertas do flagelo, foram-lhe erigidas igrejas ou dedicadas velhas capelas preexistentes.

Assim, o primeiro surto, ocorrido em Lisboa no reinado de Dom Sebastião, em 1568, atingiu o seu ponto máximo no Verão do ano seguinte; ante a elevada mortandade, a população da capital começou a organizar procissões em honra da Virgem, para que por sua intercessão pudesse cessar a peste. Tendo a mortalidade decrescido até ao começo da Primavera seguinte, o povo agradecido passou a celebrar anualmente uma procissão em honra de Maria, sob a invocação de Nossa Senhora da Saúde, no 1.º Domingo de Maio. A imagem protectora foi depositada na Igreja do Colégio de Jesus, tendo mais tarde sido transferida, em 1662, para a pequena Capela de Nossa Senhora da Saúde e de São Sebastião da Mouraria, na freguesia de Santa Justa, próxima ao Rossio.

Um novo surto da doença, em 1599, tornou mais visível a devoção pela Senhora da Saúde. A pestilência era tão intensa que muitas pessoas fugiam da capital para os arredores, em busca de ares mais saudáveis. Em Sacavém, nos arredores da capital, foi encontrada uma imagem de Maria com o Menino nos braços que, invocada como Nossa Senhora da Saúde, se diz ter feito cessar a peste: a imagem foi depositada na Capela de Santo André aí existente, passando a ser todos os anos e cultuada com uma procissão no primeiro fim-de-semana de Setembro.

Em Vila Fresca de Azeitão, no Concelho de Setúbal, também se venera Nossa Senhora da Saúde e se realiza uma Procissão integrada na Festa dedicada a Nossa Senhora da Saúde. Esta festa realiza-se anualmente no fim de semana mais próximo do dia 8 de Setembro e realiza-se desde 1723 na sequência de uma peste que ameaçou aquela região no Verão de 1723.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here