Centro social prepara XXXI Festival de Folklore Portugués

Sete grupos participam em reunião da organização

0
1467

As instalações do Centro Social Madeirense de Valencia, Estado de Carabobo, estão a ser preparadas para se converterem, em junho no epicentro do folclore luso nas terras venezuelanas, quando receba o XXXI Festival de Folklore Portugués. Para tal, no domingo 12 de fevereiro, o grupo da casa organizou a primeira reunião preparativa da competição, com a finalidade de rever o regulamento, esclarecer as dúvidas e promover a são conveniência entre os representantes e os membros dos grupos participantes.

No total, sete grupos acompanharam o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense no encontro dominical: o Grupo Folklórico Amizade de la Casa Portuguesa del Estado Aragua; Rancho Folclórico Costumbres y Tradiciones de Portugal de San Juan de los Morros, Estado de Guárico; Grupo Folklórico del Centro Socio Cultural Virgen de Fátima de Guatire, Estado Miranda; Grupo Folklórico Internacional Luso Centro Marítimo de Venezuela de Turumo, Estado Miranda; Asociación Cultural Grupo Folklórico Os Lusiadas de Caracas, Distrito Capital; Fundación Cultural Grupo Folclórico Cantinhos da Madeira de Los Teques, Estado Miranda; e o Rancho Folclórico Saudades de la Casa Portuguesa Venezolana de Valencia, Estado de Carabobo.

Ainda, o encontro serviu para dar a conhecer que o Grupo Folklórico del Centro Luso Venezolano de Catia La Mar, Estado Vargas, também vai participar no Festival. «Até ao momento, há oito grupos confirmados e talvez haja mais inscrições atá à data da realização do encontro», afirmou David Otero, Diretor de Cultura e Imigração do Centro Social Madeirense de Valencia.

O encontro, marcado para o sábado 24 de junho, a partir das 15h00, no salão Madeira do Centro Social Madeirense de Valencia, Estado de Carabobo, terá como lema “Centenario de las Apariciones”. O grande atrativo deste ano de 2017 será a presença da Imagem Peregrina da Virgem de Fátima, que chegará à associação ao meio-dia e ficará lá até ao final do Festival. A presença da escultura religiosa tem lugar logo após de, em 2016, a Diocese de Maracay, promotora da peregrinação, ter lançado o desafio para que o próximo organizador dedicasse o Festival à Virgem e, assim, eles garantiriam a presença da imagem peregrina na iniciativa.

«Para nós, é uma honra receber todos os grupos na nossa casa. Acreditamos que, apesar da situação do país, o Festival é uma oportunidade perfeita para realçar a portugalidade. Infelizmente, cada vez há menos grupos, pois muitos foram extintos por falta de membros, devido à migração, aos problemas económicos ou/e à insegurança. Como tal, este tipo de encontros é uma oportunidade valiosa para que não morram os nossos costumes e tradições. Se não há um esforço conjunto, vamos acabar por perder a nossa tradição», afirmou Otero.

Dez grupos destacaram Portugalidade em 2016

A mais recente edição do Festival de Folklore Portugués de Venezuela realizou-se nas instalações da Casa Portuguesa de Maracay, Estado Aragua, e foi organizada pelo Grupo Folklórico Amizade sob o lema “Portugal: Terra de navegantes”, resultando vencedor o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense. A iniciativa contou com a participação de dez grupos: Fundación Cultural Grupo Folclórico “Cantinhos Da Madeira”, Grupo Folclórico Internacional Luso Centro Marítimo de Venezuela, Grupo folclórico “Da Nossa Mocidade” de la Victoria, Estado Aragua, Asociación Cultural Grupo Folclórico “Os Lusíadas”, Grupo Folclórico del Centro Socio Cultural Virgen de Fátima, Rancho Folclórico Costumbres y Tradiciones de Portugal de San Juan de Los Morros estado Guárico, Escuela y Grupo Folclórico del Centro Social Madeirense de Valencia, Grupo Folclórico del Centro Social Madeirense de Valencia, Grupo Folclórico del Centro Luso Venezolano do Estado Vargas e o Rancho Folclórico Saudades de la Casa Portuguesa Venezolana do Estado Carabobo.

Um festival com história

O Festival de Folklore Portugués realizou-se pela primeira vez em 1981 no Centro Portugués de Naguanagua, Estado Carabobo, por iniciativa de “Dimensão Lusitana”, sob a direção de Rui Urbano, com a finalidade de reunir os diferentes grupos folclóricos portugueses na sua segunda pátria, a Venezuela, y demostrar aos venezuelanos e restante comunidade a variedade e a riqueza do folclore português, Neste evento cheio de emoção e novidades, o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense mereceu o Primeiro Lugar.

Durante os seguintes quatro anos, “Dimensão Lusitana” continuará a organizar o “Festival de Folklore Portugués” nas instalações dos diferentes centros sociais de Valencia, Maracay e Caracas. Nestes festivais, o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense obteve três primeiros lugares e o Grupo Folklórico “Perla do Atlántico” um primeiro lugar.

Devido a problemas surgidos no quinto Festival, a sua organização foi paralisada durante três anos, hasta el año 1988, donde nuevamente el Sr. Rui Urbano organiza el “VI Festival de Folklore Portugués”, sendo merecedor do primeiro lugar o Grupo Folklórico Amizade de la Casa Portuguesa del Estado Aragua. No ano seguinte, tem lugar o “VII Festival de Folklore Portugués”, na Casa Portuguesa del Estado Aragua, sob a direção de Rui Urbano, onde o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense, obtém novamente o 1 º lugar.

Nos três anos seguintes, não se realiza novamente o festival, até 1993, quando o Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense organiza o “VII Festival de Folklore Portugués”com a participação de 13 grupos e uns regulamentos que permitem manter e continuar a realização do Festival, assim como dar oportunidade aos diferentes grupos folclóricos de ser anfitriões nos próximos eventos.

Ultrapassados alguns problemas e desacordos, o mais importante é que este evento tem conseguido unir tantos grupos folclóricos portugueses, assim como permitir um trabalho de investigação no que se refere à cultura, trajes, música e danças típicas portuguesas, oferecendo ao público que desfruta destes eventos um folclore variado e uma cultura de um povo que tem demonstrado, um pouco por todo o mundo, que consegue brilhar devido amor que sente pelos seus costumes e tradições.

A saber

Comité de Cultura del Centro Social Madeirense

Facebook: Comité de Cultura del Centro Social Madeirense

Instagram: @comitedeculturacsmadeirense

Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense

Facebook: Grupo Folklórico del Centro Social Madeirense

Instagram: @grupofolkloricocsm

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here