Christine Ourmières-Widener acusa IGF de “comportamento discriminatório”

0
62

A presidente executiva (CEO) exonerada da TAP, Christine Ourmières-Widener, acusou a Inspeção-Geral de Finanças (IGF) de “comportamento discriminatório”, no âmbito da auditoria ao processo que levou ao pagamento de uma indemnização a Alexandra Reis e ameaçou retirar “consequências legais”.

No seu contraditório ao relatório, hoje divulgado, a gestora manifestou a sua “perplexidade ao constatar que, lamentavelmente, foi a única pessoa diretamente envolvida” neste processo “que não foi ouvida pessoalmente perante a IGF”.

“Fica devidamente registado este comportamento discriminatório por parte da IGF, relativamente ao qual não deixará de ser retirar, em devido tempo, todas as consequências legais”, lê-se no documento.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here