Combata as enxaquecas de forma eficaz

0
776

A enxaqueca é um tipo comum de dor de cabeça, intensa e pulsátil (latejante), que normalmente afecta um lado da cabeça. A acompanhar a dor podem surgir sintomas como vómitos, náusea e intolerância à luz (fotofobia) e ao som (fonofobia). Estes sinais podem durar apenas algumas horas, mas em casos excepcionais podem ir até três dias. A enxaqueca tem uma componente genética e é uma resposta individual a fatores ambientais, como o barulho, o som, etc.

Certas mudanças no estilo de vida podem fazer a diferença na prevenção deste tipo de cefaleia. Faça um diário das suas dores de cabeça, marcando datas, duração, intensidade da dor, sintomas e outros factores relevantes. É uma ferramenta indispensável para compreender as possíveis causas. Desta forma, poderá, com o seu médico, identificar os factores que causaram a cefaleia, bem como o melhor tratamento. Adote um estilo de vida saudável e não exagere no consumo de analgésicos. Procure manter hábitos de sono regulares e evite picos de maior stress. Não salte refeições e coma regularmente e a horas. Pode já começar a deixar de fumar.

Tomar medicamentos regularmente contra a dor, sejam analgésicos simples ou medicamentos para as enxaquecas, pode causar o efeito contrário. Em vez de impedir as dores de cabeça, podem provocá-las. O organismo habitua-se à medicação e a dor de cabeça é causada pelo próprio tratamento: trata-se do «efeito rebound».

Algumas pessoas preferem recorrer às terapias complementares. Apesar de ainda não existirem muitos estudos científicos sobre a sua eficácia, algumas poderão amenizar a intensidade das crises. A acupunctura, por exemplo, é muito utilizada na prevenção da enxaqueca. No entanto, esta terapia não parece eficaz no que toca aos ataques agudos.

A quiropraxia é também um dos tratamentos alternativos mais procurados, quando a enxaqueca é acompanhada por dores musculares. Contudo, também não existem estudos científicos que comprovem a sua eficácia.

Se optar por uma terapia alternativa, esta não deve substituir o acompanhamento médico.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here