Concurso procura obras de luso-descendentes e venezuelanos em Portugal

0
29

Os organizadores do concurso Salão Nacional da Coexistência (SNC), lançado em Caracas para estudantes e profissionais de desenho gráfico, fotografia e ilustração, esperam a participação de luso-venezuelanos radicados em Portugal.

«Espero que participem os luso-venezuelanos de Portugal e os venezuelanos de todas partes do mundo, com propostas inéditas que reflitam o conceito de coexistência», explicou a coordenadora do SNC, Lety Tovar, à Lusa.

O vencedor de cada uma das categorias (desenho gráfico, fotografia e ilustração) da 13.ª edição do concurso, lançado pelo «Espaço Anne Frank» (www.espacioannafrank.org), receberá um prémio de 500 dólares (456 euros), sendo que o júri poderá selecionar também outras obras que se destaquem.

Todos os maiores de 18 anos podem apresentar candidaturas podem até 3 de junho, em versão digital ou física, e não haverá uma pré-seleção de candidatos.

As obras devem «explicar o caminho para a coexistência, uma forma metafórica de falar das práticas diárias», explicou Lety Tovar.

O concurso procura reflexões sobre os caminhos para a convivência pacífica, o respeito pela diferença, o direito à igualdade e à justiça, assim como o valor de proteger ou defender quem não pode fazê-lo por si mesmo, disse a coordenadora do SNC.

O concurso pretende ainda divulgar os valores humanos, o uso da liberdade de expressão e a consciência cidadã.

«As peças selecionadas vão ser expostas em locais públicos e na galeria virtual do `Espaço Anne Frank`, após exposições em escolas, colégios e universidades, para promover a coexistência como forma de vida», explicam os organizadores, no material promocional do concurso.

O júri do concurso será constituído pela promotora cultural Lía Di Lucca, o artista plástico Leonardo Moleiro, o artista visual, escritor e compositor Juan Luís Landaeta, a investigadora de comunicação e professora universitária Johanna Pérez Daza, o artista multidisciplinar Alexander Apóstol, o fotógrafo e curador Wilson Prada, os desenhadores Pedro Quintero e Eduardo Chumaceira e a desenhadora e fotógrafa Kataliñ Alava, conhecida por Kachale.

Os resultados serão divulgados a partir de 29 de agosto.

A entrega de prémios e inauguração da exposição virtual com as peças selecionadas terá luar em setembro, no âmbito das celebrações do Mês da Coexistência.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here