Da Venezuela para Portugal e da Bairrada para Angola

0
209

Natural da Venezuela, Victor Moniz residiu em Portugal, mais concretamente na região da Bairrada, durante muitos anos. Há cinco mudou-se para Angola, onde trabalha numa empresa de transformação de vidro e faz parte do projeto «Volta a Africa», que alia a paixão por motas à solidariedade, levando bens de primeira necessidade a quem mais precisa, promovendo também assim as paisagens por onde passa.

A residir atualmente em Luanda, Victor Moniz confessa que ao princípio foi um «pouquinho difícil». «Não conhecia os locais e tinha poucos amigos, mas ficarei eternamente grato a algumas pessoas, que mesmo com pouco tempo de convivência, me abriram as portas de suas casas», recorda. Para além disso, Moniz relembra «uma situação engraçada», a de encontrar, em Luanda, «um amigo» com quem viajou de mota à Ilha de Man (no Reino Unido) em 1997.

«Apesar de ser um país onde a criminalidade é grande, tem algumas particularidades engraçadas», desvenda Victor Moniz, que garante que a adaptação não foi difícil. «Apesar de não conhecer Angola, com as viagens que fui fazendo já tinha passado por muitos países do continente africano e, por isso, foi mais fácil», refere. E se ao princípio, Portugal e Angola «parecem muito diferentes», com o passar dos tempos, afiança Victor Moniz, «as diferenças tornam-se menores».

Duas vezes por ano, Victor Moniz vem a Portugal, mas admite que «muito do seu tempo livre» é aproveitado «a conhecer o continente africano e o próprio país».

De Portugal o que mais sente saudades é da família, da «organização portuguesa» e dos amigos, «apesar de falar muitas vezes com eles, é diferente estarmos juntos». «Que saudades de uma sandes de leitão à Bairrada…», confessa ao «Bairrada Informação».

Tanto com a família que tem em Portugal como a de Caracas, na Venezuela, Victor Moniz defende que «atualmente com as tecnologias não existe muito o fator real da distância, por isso, vai sendo fácil ultrapassar essa parte».

A viver em Mulemba, Cacuaco, o maior hobbie de Victor Moniz é viajar «e em simultâneo abraçar projectos solidários». «Neste momento estou envolvido numa ação na província do Kuanza, intitulada Sul Missão ONDJOYETU, que na língua nativa umbundo quer dizer “a nossa casa” e que faz parte do projeto Volta a Africa», refere sobre um projeto solidário que teve início com o Grupo Missionário da Diocese de Leiria-Fátima.

E é por isso que na hora de dar um conselho, Victor Moniz é perentório: «Arrisquem! Conheçam novas culturas. Podem não ficar mais ricos monetariamente, mas de certeza ficarão muito mais ricos em cultura e vivências».

Paixão por viagens em duas rodas

O bichinho das viagens terá sido espoletado, em 1970, de Caracas a Lisboa. Seguiu-se outra, numa Casal 50cc, da Curia até Vila Real Santo António, e, desde então, as viagens são praticamente todas em duas rodas, tendo ido a Jerez de la Frontera, participado no rally F.I.M em Havirov (na República Checa) e na Euro Demo em Bruxelas (Bélgica).

De 1996 a 2001 muitas foram as viagens pela Europa, seguindo-se São Petesburgo (Rússia), Marrocos, Estados Unidos e Canadá. Em 2009, Victor Moniz foi ao Dakar e em 2011 ao Quênia – Ruanda -Sudão – Burundi -Uganda. Em 2012 participou no Mongol Rally.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here