‘Damas Portuguesas’ ajudam a comunidade lusa na Venezuela há 52 anos

0
70

Dizem que o altruísmo é algo com que se nasce e, precisamente, uma das características mais marcantes da comunidade lusitana radicada na Venezuela é a sua solidariedade para com as causas sociais. Algumas pessoas atribuem este traço social às dificuldades, ao esforço e ao árduo trabalho que viveram em Portugal. Posteriormente emigraram para a Venezuela com os bolsos vazios. Outros apontam que este dom é uma parte inata da cultura portuguesa.

Seja como for, a ‘primeira pedra’ desta bandeira do amor ao próximo foi lançada por Susana de Sampaio, ex-Embaixadora da Lusitânia na Venezuela, que fundou há 46 anos a Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas. Desde então, surgiram diferentes instituições e associações sem fins lucrativos que organizam constantemente dias de arrecadação de fundos para lutas beneficentes relacionadas a idosos, pessoas carentes, de baixos rendimentos e várias doenças.

A Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas é uma Sociedade Civil sem fins lucrativos criada em maio de 1969, destinada a prestar colaboração a todas as pessoas e especialmente aos cidadãos de nacionalidade portuguesa que se encontrem em situações difíceis ou afetados por doença ou deficiência, que os impeça de exercer as suas funções normais.

Esta associação também apoia instituições venezuelanas como a Avepane, o Hospital Infantil J. M. de Los Ríos, Asocirpla, Fundana e a Fundação Padre Pío, entre outras. Além disso, faz doações permanentes para algumas famílias e auxilia algumas pessoas em procedimentos cirúrgicos e no tratamento de doenças. Outro importante trabalho realizado pelas ‘Damas’ Portuguesas é o apoio dado ao Lar Padre Joaquim Ferreira.

Anualmente a instituição, que hoje conta com 27 mulheres ativas, realiza quatro eventos de arrecadação de fundos, a fim de distribuí-los entre todos os seus projetos. O atual conselho de administração é chefiado por Fátima Pita.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here