Embaixador Carlos Sousa Amaro assume posto em Caracas

0
1415

O embaixador português Carlos Sousa Amaro vai assumir o posto de Caracas, Venezuela, segundo o decreto do Presidente da República hoje publicado em Diário da República.

O ministro plenipotenciário de 2.ª classe Carlos Nuno Almeida de Sousa Amaro é nomeado, sob proposta do Governo, para o cargo de embaixador de Portugal na capital venezuelana, sendo uma de várias nomeações e exonerações de diplomatas de que dá conta a edição de hoje do Diário da República.

A saída de Caracas de Fernando Teles Fazendeiro — que é agora exonerado do cargo de embaixador na capital venezuelana – já era conhecida, mas a sua nomeação para Bucareste não foi publicada hoje.

No final de junho, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, garantiu no parlamento que não haveria hiato entre a saída do embaixador colocado em Caracas e a entrada no seu sucessor.

O posto da Roménia “pode esperar o tempo que for necessário, os portugueses na Venezuela e os luso-descendentes é que não podem correr o risco de descontinuidade”, disse o governante.

O embaixador Álvaro Mendonça e Moura deixa o cargo de representante permanente de Portugal junto da Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque, com efeitos a partir de 17 de Junho de 2017, “transitando para a situação de disponibilidade, por ter atingido o limite de idade”.

Pelo mesmo motivo, Mário Godinho de Matos é exonerado da embaixada de Moscovo, com efeitos desde dia 14 de Junho.

Para a Rússia segue agora Paulo Vizeu Pinheiro, anterior representante permanente de Portugal na delegação permanente junto da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE), com sede em Paris.

António Almeida Ribeiro transita da Santa Sé para Viena, enquanto António Rodrigues da Silva é nomeado embaixador em Abuja (Nigéria).

A embaixadora em Oslo (Noruega), Maria Clara Santos, é exonerada e este posto será assumido por António Quinteiro Nobre, que deixa a embaixada em Seul (Coreia do Sul).

Rui Alberto Baceira, que era cônsul em Goa (Índia), passa a chefe de missão no escritório de representação de Portugal em Ramallah, saindo deste posto Mário Abreu de Almeida.

[quote_box_center]

Nota curricular do novo embaixador:

Nome – Carlos Nuno Almeida de Sousa Amaro.

Formação académica – licenciatura em Relações Internacionais pela Universidade da África do Sul.

Experiência profissional:

De Setembro de 2004 a Março de 2005, em comissão de serviço, na Embaixada de Portugal em Paris, com os pelouros relativos à União Europeia;

De Março de 2004 a Setembro de 2004, chefe de divisão na Direcção de Serviços do Mercado Interno, Direcção-Geral dos Assuntos Comunitários, Ministério dos Negócios Estrangeiros;

De Outubro de 2003 a Fevereiro de 2004, chefe de gabinete da Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação;

De Janeiro de 1999 a Outubro de 2004, na Embaixada de Portugal em Paris, com pelouros relativos à União Europeia;

De Setembro de 1999 a Junho de 2000, integrou o Núcleo dos Balcãs do Ministério dos Negócios Estrangeiros e, durante a presidência portuguesa da UE (no 1.º semestre de 2000), foi membro da delegação portuguesa e adjunto do presidente do Grupo COWEB (PESC);

De Março de 1998 a Dezembro de 1998, chefe de gabinete do Alto Representante da Comunidade Internacional para a Bósnia-Herzegovina;

Primeiro-secretário de embaixada, em 2 de Março de 1998;

De Junho de 1994 a Março de 1998, na Embaixada de Portugal em Varsóvia;

Em Maio de 1995, observador de Portugal, em missão de curta duração, junto da Missão da OSCE para as eleições e referendo na Bielorrússia;

De Maio de 1993 a Maio de 1994, integrou a Missão de Observadores da Comunidade Europeia na África do Sul – ECOMSA (missão de observadores para o processo de transição para a democracia com mandato da ONU), tendo desempenhado as funções de assessor político do chefe de missão e porta-voz da missão;

Terceiro-secretário de embaixada, em 7 de Julho de 1992;

De Fevereiro de 1990 a Maio de 1993, na Direcção de Serviços da Protecção Consular da Direcção-Geral dos Assuntos Consulares;

Adido de embaixada, na Secretaria de Estado, em 16 de Fevereiro de 1990;

De Agosto de 1989 a Fevereiro de 1990, na Direcção de Serviços de Vistos da Direcção-Geral dos Assuntos Consulares;

Aprovado no concurso de admissão aos lugares de adido de embaixada aberto em 24 de Dezembro de 198

[/quote_box_center]8.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here