Exames nacionais do secundário vão começar duas semanas mais tarde

0
20

A primeira fase dos exames nacionais do secundário vai realizar-se duas semanas depois do inicialmente previsto, segundo o novo calendário divulgado pelo Ministério da Educação e publicado em Diário da República.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou na Rádio Renascença, que os exames nacionais tinham sido adiados para julho e setembro e que tinham sido canceladas as provas de aferição do 2.º ano de Educação Física e Expressões Artísticas.

De acordo com o novo calendário, que está publicado em Diário da República, a primeira fase dos exames finais nacionais do ensino secundário vai avançar duas semanas, realizando-se entre 2 e 16 de julho. As notas dos alunos serão conhecidas em 2 de agosto.

Antes, o arranque dos exames estava previsto para 17 de junho com as provas do 12.º ano de Português, mas a pausa letiva que decorreu entre finais de janeiro e inícios de fevereiro devido à pandemia de covid-19 obrigou à alteração de todo o calendário escolar, que este ano terminará uma semana mais tarde.

Também a segunda fase dos exames nacionais do secundário sofreu alterações: Estava prevista decorrer entre 21 e 27 de julho, mas irá realizar-se entre 1 e 7 de setembro.

As notas dos alunos que façam provas na segunda fase serão conhecidas em 16 de setembro, segundo o despacho do ministério.

Também as datas das provas finais de ciclo de 9.º ano avançam cerca de uma semana. A primeira fase estava prevista para decorrer entre 17 e 25 de junho (começando pela disciplina de Português Língua Não Materna, depois Matemática e Português) e agora será entre 28 de junho e 2 de julho, com resultados afixados em 19 de julho.

A segunda fase das provas do 9.º ano mantém-se praticamente inalterada, avançando apenas um dia: Será entre 21 e 23 de julho, com afixação de resultados em 3 de agosto.

As provas de aferição dirigidas aos alunos dos 2.º, 5.º e 8.º anos também têm novas datas, realizando-se na sua maioria entre os dias 14 e 21 de junho, com exceção da prova de componente oral da prova de inglês de 5.º ano, que será entre 27 de maio e 9 de junho.

Em entrevista à Rádio Renascença, o ministro da Educação revelou que devido à pandemia de covid-19 as primeiras provas de aferição, previstas para decorrer entre os dias 3 e 11 de maio, foram canceladas, o que significa que os alunos do 2.º ano não irão realizar provas a Educação Física e Expressões Artísticas.

O diploma aprovado prevê também alterações ao calendário de funcionamento das atividades educativas e letivas dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

Estas alterações são resultado do agravamento da situação pandémica no país que levaram a suspender as aulas no final do mês de janeiro. Durante onze dias, os alunos de todos os níveis de ensino não tiveram aulas, mas na segunda-feira «voltaram» à escola, com ensino à distância.

Os onze dias de pausa foram redistribuídos entre as férias do Carnaval e da Páscoa, mas também com mais cinco dias no final do ano letivo.

Os alunos do pré-escolar, 1.º ciclo e 2.º ciclo vão terminar as aulas em 8 de julho. Enquanto os estudantes dos 7.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade acabam o ano letivo em 23 de junho.

Os alunos que fazem provas nacionais – dos 9.º, 11.º e 12.º anos – terminam em 18 de junho.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here