Fazer bolos com sabor crioulo no centro da Madeira

Uma luso-descendente e um venezuelano apostam na pastelaria no Funchal para ganhar a vida.

0
1929

Ivetti de Abreu e Zaquiel Trujillo são um sucesso na ilha da Madeira. Desde que emigraram, em Maio de 2002, têm trabalhado arduamente para consolidar um sonho que em pouco tempo se tornou num grande projecto com vida própria. A criatividade que demonstram em cada um dos bolos que confeccionam capta a atenção de locais e estrangeiros.

Ivetti, filha de madeirenses provenientes da Ribeira Brava, nascida a 17 de Fevereiro de 1972, e Zaquiel, venezuelano nascido a 8 de Abril de 1974, emigraram depois de casar, na esperança de começar uma vida nova. “A emigração é difícil porque deixamos para trás a nossa família e amigos. Ainda continua a ser difícil porque estamos sós aqui e dói-nos estar longe da nossa amada Venezuela”, diz Ivetti.

O projecto dos bolos começou em 2010. “Nesse ano, com a tragédia natural ocorrida a 20 de Fevereiro na ilha, o nosso restaurante Oásis Café, no Anadia Sopping, ficou encerrado para obras. Perdemos quase tudo. Eu estava desempregada porque a Zona Franca da Madeira estava em remodelação, com novas regras, e a grande maioria das empresas saiu desta praça financeira e mudou-se para diferentes países da Europa. Como estava próximo dos aniversários dos meus filhos, eu e o meu marido aventuramo-nos a fazer bolos e as decorações”, explicou Abreu, que até então trabalhara como contabilista em várias empresas da Zona Franca da Madeira, depois de ter obtido as respectivas equivalências.

A semente estava lançada. “Vimos na confecção de bolos uma forma de relaxarmos e darmos alegria aos nossos amigos. Mas a pouco e pouco, vimos que podíamos abrir caminho num mercado que até ao momento era inédito na Madeira. Assim, apostamos na formação com reconhecidos cake designers internacionais, entre os quais estavam Debbie Brown, Carlos Linchetti, Zoe Clark e Natalia da Silva, entre outros”, explicou Ivetti.

O ano de 2013 representou o lançamento oficial da 4cakes. Com um novo logo e apostando na publicidade e parcerias com grandes empresas, a pouco e pouco a marca começou a marcar presença em diversas feiras madeirenses, como a Funchal Noivos, ExpoMadeira, ExpoCake e Expo Baby. A ilha inteira pôde conhecer o projecto através de várias entrevistas de televisão e rádios, como por exemplo no aniversário da RTP Madeira; aniversário do Diário de Notícias; e ainda nos programas televisivos Atlântida e Madeira Viva, ambos da RTP Madeira.

Este ofício, que se já consolidou como empresa familiar sob o nome de 4cakes, dedica-se exclusivamente à parte comestível de uma festa: Bolos, bolos estruturados, towercake, cupcakes, poccakes e bombons, entra tantas outras opções.

“Apostamos sobretudo nos bolos estruturados, onde a imaginação é o limite. O êxito do projecto deve-se ao facto de os bolos terem o melhor sabor do mercado mas sobretudo porque os clientes terão o melhor bolo, adequado ao estilo e necessidades de cada evento”, explicou esta luso-venezuelana que fez deste ofício a sua grande paixão.

“Temos a Venezuela no nosso coração e conservamos as nossas raízes: Os nosso filhos falam os dois idiomas, fazemos os típicos doces e a 24 de Dezembro o que figura na nossa mesa é o típico prato venezuelano. No entanto, faz-nos falta a nossa gente e o carisma da nossa terra. Não perdemos a esperança de um dia regressar”, finalizou Ivetti, convidando os crioulos que vivem na Madeira a que visitem o restaurante Oásis Café, no centro comercial Anadia Shopping, no Funchal, onde contam com uma exposição do seu trabalho.

Artículo anteriorHonras de Panteão Nacional para Eusébio da Silva Ferreira
Artículo siguienteMosteiro de São Bento de Ave Maria
Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here