A imagem desta semana é de Fernando Pessoa, que nasceu a 13 de Junho de 1888 em Lisboa, e é um dos mais famosos escritores de todos os tempos. Os pais foram Madalena Pinheiro Nogueira e Joaquim de Seabra Pessoa, que foi crítico musical de um jornal local, tendo morrido em 1893.

A mãe casou de novo em 1895 com o Comandante João Miguel Rosa, que era cônsul português em Durban, na África do Sul. Foi por isso que passou a juventude naquele país. Ali, fez todos os estudos até ao exame de entrada na Universidade da Cidade do Cabo. Regressou a Lisboa em 1905 e inscreveu-se no curso de Filosofia da Faculdade de Letras.

Depois do insucesso de um projecto editorial em que esteve envolvido, começou a trabalhar como correspondente em inglês e francês para várias empresas, emprego que manteve pelo resto da sua vida. Em 1913, iniciou colaborações em revistas como A Águia e Portugal Futurista, baseando os seus textos no romantismo inglês e em Baudelaire.

Em 1914 apareceram os heterónimos de Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Estes são autores fictícios e cada um deles possui a sua própria personalidade. Em 1915, criou, com Mário de Sá-Carneiro, Almada Negreiros, Armando Cortês Rodrigues, Luís de Montalvor, Alfredo Pedro Guisado e outros, uma revista chamada Orpheu, que envolveu experiências futuristas, paulistas e cubistas. Esta publicação gerou muita controvérsia em Portugal.

Houve um momento em que as coisas esotéricas começaram a atrair Fernando Pessoa, influenciando a sua obra ortónima. Em 1920, iniciou uma relação amorosa com Ofélia Queiroz, que trabalhava numa das companhias importadoras onde Pessoa trabalhou. Em 1929, a relação tinha terminado.

Depois do golpe militar que derrotou a república parlamentar e do começo do regime de Salazar, Pessoa iniciou a exposição das suas teorias do ‘Quinto Império’, que estaria influenciado pela cultura e não pelo aspecto militar ou político.

A única colecção de poemas em português que Pessoa escreveu chama-se ‘Mensagem’, e foi publicada em 1934. Recebeu um prémio governamental de 5.000 escudos. Inclui trabalhos em diferentes áreas tais como: Teologia, ocultismo, filosofia, política, economia, entre muitos outros.

Devido a uma crise hepática, que se presume que tenha acontecido devido ao álcool, Pessoa faleceu num hospital da capital lusitana a 30 de Novembro de 1935. A sua poesia teve mais influência depois da sua morte. Enquanto esteve vivo, não era tão seguido. Muitos artistas musicais foram influenciados pela sua obra, entre eles Caetano Veloso.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here