Filipe de Botton diz que país «tem imagem diferente”de há três anos

Conselho da Diáspora apresentou o plano de actividades de 2015 e "as conclusões do ano de 2014", um ano "extremamente rico" para a instituição

0
756

CORREIO/LUSA

O presidente do Conselho da Diáspora Portuguesa, Filipe de Botton, afirmou, a 30 de Março, que a imagem de Portugal no estrangeiro «é completamente diferente daquela que era há três anos», e considerou que Portugal é «um país apelativo».

«A imagem hoje de Portugal é completamente diferente daquela que era há três anos atrás ou dois anos atrás. Hoje Portugal tem uma imagem própria, tem uma imagem de um país atraente, uma imagem de um país que, falando em bom português, deu a volta e que claramente está com os indicadores num processo de melhoria», disse Filipe de Botton, quando questionado se no estrangeiro há uma percepção diferente do que é Portugal.

O presidente do Conselho da Diáspora Portuguesa falava aos jornalistas no final de uma reunião com o Presidente da República, em Belém, Lisboa.

Filipe de Botton acrescentou que Portugal «é claramente um país que hoje é apelativo» para «qualquer pessoa que viva fora de Portugal.

A Cavaco Silva, o Conselho da Diáspora apresentou o plano de actividades de 2015 e «as conclusões do ano de 2014», um ano «extremamente rico» para a instituição, disse o presidente.

Filipe de Botton afirmou que «2014 foi um ano extremamente rico para o Conselho da Diáspora», explicando que a instituição trouxe a Portugal «vários potenciais investidores», organizou «iniciativas através da mão dos conselheiros, nomeadamente na área da prevenção da saúde oncológica», e apresentou fontes alternativas de financiamento para o país.

«Tivemos uma grande preocupação, desde que o Conselho da Diáspora se iniciou no final de 2012, em apresentar propostas concretas e sugestões de actuação objectivas para Portugal. Não ficar em temas meramente de boas intenções mas claramente dar sugestões que possam ter como consequência para Portugal iniciativas positivas», referiu.

O presidente do Conselho da Diáspora sublinhou ainda que Cavaco Silva tem sido «o principal impulsionador» desta instituição», e que durante a reunião foi possível delinear «alguns temas que valia a pena aprofundar de forma mais significativa para o ano de 2015, nomeadamente do apoio que todos os conselheiros de Portugal no mundo, todos os membros do Conselho da Diáspora, podem e devem trazer ao Conselho e ao país».

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here