Finanças pessoais instantâneas: «O currículo constrói-se desde o ensino básico»

0
664

Luís Ernesto frequenta o primeiro semestre de engenharia electrónica e, desde que terminou o liceu, trabalha em tempo parcial para adquirir experiência laboral, cobrir parte dos seus gastos e poupar algum para comprar um carro.

Está consciente da importância para o seu currículo das actividades que realiza, além de estudar e espera que isto o ajude para entrar na empresa transnacional que se candidatou como estagiário.

No mundo actual, em que ambos os pais se vêem obrigados a trabalhar para manter a casa, é normal que incentivem os filhos a realizar tarefas fora das salas de aula, como forma de os manter ocupados em vez de ficarem sentados à frente da televisão ou do computador. As actividades extracurriculares são múltiplas e vão desde a ajuda para estudar até as práticas desportivas e artísticas e, ao entrar na adolescência, incorporam labores de tipo social.

Os jovens, acostumados a viver desta forma, seguem este ritmo ao chegar à universidade e, com muita frequência, entram no mercado laboral enquanto estudam. É frequente ver ofertas de emprego que pedem profissionais recém-licenciados com experiência de dois a três anos. E quem faz outras coisas além de estudar conta com muitas mais oportunidades para ficar com os melhores empregos, cada vez mais escassos, em relação àquelas que esperam pela conclusão do curso para começar a trabalhar.

As tarefas extracurriculares ajudam os jovens a ampliar a sua visão do mundo, a fortalecer o seu sentido de responsabilidade e desenvolver a sua capacidade de interagir com pessoas distintas às dos seu meio familiar e escolar. Há dinâmicas como os modelos das Nações Unidas, as olimpíadas de matemática ou química, exposições de invenções e competições desportivas que preparam a juventude para a prática profissional e acrescentam conteúdo à sua ‘folha de vida’.

Em princípio, os padres exploram as várias destrezas que podem ter os seus filhos. É assim como vão passando pela prática de distintas disciplinas até que têm idade suficiente para escolher as que mais lhes agradam. Os progenitores são responsáveis por procurar que os seus filhos explorem distintos campos de acção e que os apoiem quando escolhem o que gostam, o que, em muitos casos, pode converter-se na sua profissão quando cheguem à idade adulta.

Luís Ernesto recorda as actividades extracurriculares que vem realizando desde criança. Praticou vários desportos e ao culminar o secundário, domina na perfeição o idioma inglês e sempre mostrava as suas invenções nas feiras do colégio. Agora que é estudante universitário, descobriu que estas podem ser parte do seu currículo e foram determinantes na sua selecção como aprendiz numa empresa internacional conceituada.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here