Finanças pessoais instantâneas

0
860

Luísa e Ernesto esperam com muita emoção a chegada do seu primeiro filho e, seguindo a recomendação dos seus mentores, reúnem-se com um assessor financeiros para conhecer os benefícios de contar com um seguro de vida e fazem-lhe um pedido: “Por favor, pode dar-nos exemplos da vida real, com a diferença entre contar ou não com a protecção dum seguro de vida?”

Todos temos testemunhado em que situação as famílias podem ficar quando falecem membros que possuem um papel financeiro importante no lar. Umas mantém a sua qualidade de vida, enquanto que outras passam a transitar por um caminho de penúria financeira. Conhecem-se casos como o daquele senhor que acolhe a viúva e os filhos do seu melhor amigo que morreu repentinamente deixando os seus sem dinheiro.

Numa oportunidade, continua o assessor, conheci um homem de mediana idade que me disse que lamentava o facto de o seu pai não ter contratado um seguro de vida. Ficou órfão quando estava iniciar a Universidade, e, por ser o mais velho, teve que abandonar os estudos para trabalhar e assim ajudar a mãe suportar as despesas com os seus três irmãos menores. Foram tempos de muita contenção económica.

“Recordo a primeira vez que fiquei a conhecer acerca dos benefícios duma apólice de vida”, disse o assessor. Era um matrimónio jovem, sem filhos. Ele faleceu num acidente automóvel e ela foi a beneficiária duma apólice de vida de USD 2.000.000,00. Constituiu, com parte desse montante, um fundo para bolsas na Universidade na que ele se licenciou e hoje, 20 anos depois, continuam atribuindo bolsas com o seu nome.

“Numa oportunidade visitei uma mulher jovem que me comentou que ela e o seu esposo contrataram as suas apólices de vida antes do nascimento da sua filha”, prosseguiu o assessor.

O pai morreu quando ela era ainda adolescente e, graças à apólice de vida que tinha, continuou a estudar na mesma escola, vivendo na mesma casa, e licenciou-se numa universidade privada e até recebeu em numerário para começar o seu próprio negócio.

Um empreendedor, cliente dum amigo, adoeceu gravemente no meio da falência da sua empresa. Ante o seu estado de saúde, solicitou 50% de antecipação da cobertura da sua apólice de vida. Viajou até à Europa para submeter-se a um tratamento que lhe permitiu recuperar e sobrou dinheiro para iniciar o seu próprio negócio. Actualmente, desfruta da sua “nova vida” juntamente com os seus entes queridos, graças à apólice de vida que adquiriu há anos atrás.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here