Funchal recebe mais de 600 atletas de 70 países nos mundiais de natação adaptada

0
16

O Funchal vai ser a capital da natação adaptada, recebendo entre domingo e 18 de junho os Mundiais da modalidade, a primeira grande competição do ciclo paralímpico Paris2024, que juntará 600 atletas, de 70 países.

Adiados por um ano devido à pandemia de covid-19, os Mundiais juntam na Madeira a elite da natação adaptada, da qual se excluem a Rússia e a Bielorrússia, impedidas de participar devido à invasão militar à Ucrânia, e a China, que optou por não marcar presença, invocando questões sanitárias.

Depois de ter acolhido duas edições de Europeus, em 2016 e 2021, o Funchal vai ser palco da maior competição mundial da modalidade, organizada pela Federação Portuguesa de Natação (FON) e pela World Para Swimming (WPS), em parceria com a Associação de Natação da Madeira.

“Depois de termos recebido dois Europeus, o último dos quais em condições complicadas e com muitas restrições devido à pandemia, organizar um Mundial é um desafio ainda maior, porque os números associados ao evento quase duplicam”, disse Mariett Matias, responsável do evento, em declarações à agência Lusa.

De acordo com a responsável, o evento “conta com o apoio do Governo regional da Madeira, através de várias secretarias de Estado, da Associação de Natação da Madeira e do Instituto Português do Desporto e da Juventude, e deverá ter um impacto económico superior a três milhões de euros”.

Mariett Matias considera que a atribuição da organização “é o coroar de um bom trabalho anterior” e lembra que os Mundiais fecham três semanas de grandes eventos internacionais em Portugal, depois de Setúbal ter recebido a Taça do Mundo e o Europeu de juniores de águas abertas.

A responsável referiu que aos 600 atletas, que competirão por 177 pódios, juntam-se cerca de 400 técnicos e treinadores, 150 pessoas da organização e 300 voluntários, indicando que as competições decorrerão no Complexo de Piscinas do Funchal, que já acolheram os dois Europeus, e que as piscinas da Nazaré serão utilizadas para treinos.

Depois de no ano passado os Europeus terem decorrido num sistema de ‘bolha’ devido à pandemia de covid-19, a organização dos Mundiais estabeleceu um protocolo sanitário que prevê a realização periódica de testes rápidos antigénio.

Os próximos Mundiais de natação adaptada, modalidade que integra o programa paralímpico desde os Jogos Roma1960 e é praticada por atletas femininos e masculinos com deficiências visuais e motoras, decorrerão em 2023, na cidade inglesa de Manchester.

Os nadadores com deficiências locomotoras são agrupados nos diversos estilos (livres, costas, bruços, mariposa e estilos) de acordo com as suas capacidades funcionais através de avaliações, nomeadamente, da força muscular, coordenação e limitação de movimentos.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here