Futebol em Portugal: A história de uma paixão

Foi em 1875 que a bola de futebol começou a conquistar a alma do povo português, tornando-se com o passar dos anos, numa das maiores paixões nacionais

0
68

Correio da Venezuela

Não há certeza quanto ao momento em que uma bola de futebol rolou pela primeira vez em Portugal. Alguns historiadores defendem que foi na Ilha da Madeira, freguesia da Camacha, onde se jogou uma partida de futebol pela primeira vez, em 1875. Seria ao inglês Harry Hinton, jovem residente na Madeira, que devemos a introdução do «Foot-Ball», em solo português.

Treze anos mais tarde, uma bola trazida pelos irmãos Pinto Basto, rolou num Domingo de tarde na Parada de Cascais, num jogo que o organizador, Guilherme Pinto Basto, denominou de «ensaio», que seria na gíria da época, a forma como se denominava um treino. Para todos os efeitos, era a primeira vez que se jogava futebol em Portugal continental.

Mas o primeiro jogo de facto só teria lugar só a 22 de Janeiro do ano seguinte, no Campo Pequeno em Lisboa, novamente pela mão dos Pinto Basto. Uma equipa de portugueses enfrentou uma equipa de ingleses, e a vitória sorriu às cores nacionais.

O FC Porto seria o primeiro dos grandes clubes portugueses a nascer (1893). Seria Guilherme Pinto Basto o responsável pela fundação do Clube #Internacional de Foot-Ball (CIF), fundado em 1902, como uma continuação do extinto Foot-Ball Club Lisbonense (1892), o clube que tinha defrontado o Foot-Ball Club do Porto a 2 de Março de 1894, no Campo Alegre, na disputa da Taça D. Carlos I no primeiro jogo de futebol entre equipas de Lisboa e Porto, que os lisboetas venceram.

Em 23 de Setembro de 1910 é fundada a Associação de Futebol de Lisboa. O Campeonato de Lisboa foi, durante muitos anos, o principal torneio português porque reuniu os melhores jogadores e clubes como Benfica, Sporting, Belenenses e Carcavelinhos. Com o crescimento do futebol nas duas principais cidades e também no Algarve, no Minho, na Madeira e em tantas outras localidades, mais se acentuava a necessidade de criação de um organismo que coordenasse a atividade em todo o País. Assim, e por iniciativa das três Associações existentes (Lisboa, fundada em 1910, Portalegre, em 1911, e Porto, em 1912), é fundada em 31 de Março de 1914 a União Portuguesa de Futebol.

Só mais tarde, por deliberação do Congresso de 28 de Maio de 1926, a União passou a denominar-se Federação Portuguesa de Futebol, que chamou a si a organização das principais competições: Campeonato de Portugal (1922-38, competição em sistema de eliminatórias para se definir o campeão nacional), Campeonato da I Liga (1934-38, competição no sistema de todos contra todos, para estudar a viabilidade dum campeonato nacional), Campeonato da II Liga (1934-38, competição semelhante à anterior mas aberta aos clubes de todas as associações), Campeonato Nacional da I Divisão (desde 1938, depois duma reestruturação das competições federativas), Campeonato Nacional da II Divisão (de 1938 a 1990, semelhante à I Divisão mas dividido por grupos geográficos), Campeonato Nacional da III Divisão (desde 1947), Supertaça Cândido de Oliveira (desde 1980, disputada entre o campeão nacional e o vencedor da Taça de Portugal) e Campeonato Nacional da II Divisão de Honra (desde 1990).

O nascimento da Seleção

A Seleção Portuguesa de Futebol estreou-se oficialmente a 18 de dezembro de 1921 contra a Espanha, jogo que acabou 3-1 a favor dos espanhóis. Para a História ficava o primeiro golo nacional da autoria do benfiquista Alberto Augusto. A primeira vitória foi obtida a 18 de junho de 1925, contra a Itália, por 1-0.

Antes da participação nas eliminatórias do Mundial da FIFA de 1958, a seleção portuguesa colecionava apenas derrotas em jogos oficiais, quase todas elas pesadas. Até 1954, a equipa não constituía um problema para quase nenhum adversário, tendo participado apenas em 4 eliminatórias de acesso ao Mundial. Na disputa pelo acesso ao Mundial de 1934, Portugal foi batido pela Espanha por nada menos que 9-0. Nas eliminatórias do Mundial de 1938, Portugal foi eliminado pela Suíça, em jogo único, por 2-1. No acesso ao Mundial de 1950, mais uma eliminação e mais uma goleada perante os espanhóis: 5 -1. Quatro anos mais tarde, para o Mundial de 1954, mais uma derrota por 9 golos, desta feita frente à Áustria.

Nas eliminatórias para o Mundial de 1958, Portugal não conseguiu ainda chegar à fase final. Mesmo assim, alcançou o primeiro êxito notável da sua história, derrotando a Itália por 3-0.

A estreia de Portugal na fase final de uma grande competição deu-se em 1966, onde a Seleção das Quinas chegou às meias-finais do Mundial da FIFA, onde seria vencida pela equipa anfitriã, e futura campeã, a Inglaterra. Portugal terminou o torneio em terceiro lugar, após vencer a Rússia.

Apesar da exibição notável no mundial de 1966, a Seleção não conseguiu dar seguimento a essa prestação, conseguindo qualificar-se para a fase final de uma grande competição apenas 18 anos depois. Portugal chegou pela primeira vez à fase final de um Campeonato da Europa em 1984, chegando também às meias finais e perdendo da mesma forma com o anfitrião do torneio e futuro campeão, a França.

Na senda da boa participação no Europeu dois anos antes, Portugal voltaria a qualificar-se para um Campeonato do Mundo em 1986, mas acabou por desiludir os adeptos ao não passar da primeira fase.

Após o afastamento do Mundial, as consequências foram pesadas: o selecionador José Torres demitiu-se e uma série de jogadores foram afastados da equipa, que durante dois anos contou com um leque de opções secundárias. A reconstrução foi gradual, e Portugal só se voltaria a qualificar para um grande campeonato de seleções dez anos depois.

Durante várias décadas, a seleção portuguesa não fez parte de um grupo de equipas candidatas a vencer títulos. No entanto, a equipa portuguesa evoluiu, sendo presença constante em quase todas as fases finais de grandes torneios a partir do início do século XXI, fruto da presença na equipa de vários jogadores de classe mundial (incluindo dois vencedores da Bola de Ouro), que representam regularmente os principais clubes europeus. A aposta dos três grandes clubes portugueses – Sporting, Benfica e Porto – na formação de jogadores tem também beneficiado a seleção, cuja média de idades tem vindo a descer.

O primeiro grande título da equipa portuguesa foi conquistado em 2016, quando os portugueses venceram a final do Campeonato da Europa frente à anfitriã França, após vitória no prolongamento. 3 anos depois, os portugueses venceram a primeira edição da Liga das Nações da UEFA, após disputarem a final da competição contra a Holanda no Estádio do Dragão. Até 2016, a sua melhor prestação em grandes torneios fora a presença na final do Euro 2004, competição da qual foi país anfitrião e que perdeu frente à Grécia. Portugal chegou também à final da Taça Independência em 1972, que perdeu contra o Brasil, e venceu a Skydome Cup em 1995, o seu único troféu a nível sénior até 2016.

Pela seleção portuguesa passaram futebolistas de destaque na história do futebol mundial, como Fernando Peyroteo, José Travassos, Matateu, Germano, Mário Coluna, José Augusto, António Simões, José Águas, Eusébio, Vítor Damas, Manuel Bento, Torres, Fernando Chalana, Fernando Gomes, Carlos Manuel, Humberto Coelho, Paulo Futre, Paulo Sousa, Luís Figo, Vítor Baía, Pauleta, Nuno Gomes, Rui Costa, João Vieira Pinto, Deco, Ricardo Carvalho, Nani, Ricardo Quaresma, Pepe e Cristiano Ronaldo.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here