Honras de Panteão Nacional para Eusébio da Silva Ferreira

A esmagadora maioria dos deputados aplaudiu a aprovação aquando da votação, com a parlamentar independente do PS Isabel Moreira a ovacionar de pé

0
1571

Os grupos parlamentares da maioria PSD/CDS-PP, PS, PCP, BE e «Os Verdes» foram unânimes em conceder honras de Panteão Nacional ao futebolista Eusébio, falecido há cerca de um ano, aprovando a resolução conjunta na Assembleia da República, no passado 20 de Fevereiro.

«Conceder honras de Panteão Nacional aos restos mortais de Eusébio da Silva Ferreira, homenageando o símbolo nacional, o homem solidário, o futebolista e o desportista excepcional, evocando o seu estatuto de verdadeiro marco na divulgação e na globalização da imagem e da importância de Portugal no Mundo», lê-se no documento.

O texto prevê a constituição de «um grupo de trabalho, composto por representantes de cada grupo parlamentar com a incumbência de determinar a data, definir e orientar o programa da trasladação, em articulação com as entidades públicas e demais instituições envolvidas, bem como os seus familiares próximos», prevendo-se que a cerimónia decorra antes do mês de Agosto.

A esmagadora maioria dos deputados aplaudiu a aprovação aquando da votação, com a parlamentar independente do PS Isabel Moreira a ovacionar de pé.

«Buscava o golo mais que golo/Só palavra/Abstracção/Ponto no espaço/Teorema/Despido do supérfluo/rematava/E então não era golo/era poema», declamou o deputado socialista Ramos Preto, citando o poema do histórico militante do PS Manuel Alegre.

O social-democrata Duarte Marques destacou que o atleta, nascido em 25 de Janeiro de 1942 na então Lourenço Marques (actual Maputo) e que se notabilizou ao serviço do Benfica e da selecção portuguesa de futebol, «foi sempre símbolo de união e de ‘fair-play’ (desportivismo)», sendo um «exemplo para a Comunidade de Países de Língua Portuguesa e para a cultura lusófona».

WORLD CUP EUSEBIO«A iniciativa, sendo de todos, não é apócrifa (sem assinatura)», lembrou o democrata-cristão Telmo Correia, autor da primeira versão do texto, antes de citar Camões para justificar a trasladação dos restos mortais do desportista: aqueles que «se vão da Lei da morte libertando», tornando-se imortais.

O líder parlamentar do PCP, João Oliveira, referiu que a resolução «da Assembleia da República corresponde ao reconhecimento e à identificação do povo português para com Eusébio, futebolista genial e símbolo maior do desporto nacional», enquanto o seu homólogo do BE, Pedro Filipe Soares, lembrou que «a decisão de o tornar herói nacional» não pode ser tomada pelo parlamento, pois «ela já está tomada» pelo país.

«O ‘Pantera Negra’ deu muito ao Benfica, mas também deu muito à selecção nacional e ao país, sendo difícil contabilizar os pontos que deu ao país ao longo da sua vida», afirmou o deputado ecologista José Luís Ferreira.

A poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen foi a última personalidade portuguesa a merecer honras de Panteão Nacional por proposta de PSD e PS que obteve unanimidade em Fevereiro de 2014, tendo a cerimónia decorrido em Julho.

Eusébio da Silva Ferreira, para muitos o melhor futebolista português de sempre, morreu na madrugada de 5 de Janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardio-respiratória.

Também carinhosamente tratado por «King», foi eleito o melhor jogador do mundo em 1965 e conquistou duas Botas de Ouro (1967/68 e 1972/73).

No Mundial de 1966, disputado em Inglaterra, foi considerado o melhor jogador da competição, na qual foi o melhor marcador, com nove golos, com a «selecção das quinas» a classificar-se no terceiro lugar.

eusebioBenfica e FPF congratulam-se com consenso alcançado
O Benfica congratulou-se com a aprovação, por unanimidade, dos grupos parlamentares da trasladação do futebolista Eusébio para o Panteão Nacional.

“O consenso que este tema gerou no Parlamento é revelador do prestígio que o atleta e o homem conquistou para Portugal, sendo uma referência incontornável do desporto, do clube e do país”, refere uma nota publicada no site oficial do Benfica na internet.

Para o Benfica, a ida para o Panteão Nacional “constituir-se-á como homenagem justa e inequívoca de que a memória de Eusébio não se apaga e permanece bem viva no coração do povo português”.

«Conceder honras de Panteão Nacional aos restos mortais de Eusébio da Silva Ferreira, homenageando o símbolo nacional, o homem solidário o futebolista e o desportista excepcional, evocando o seu estatuto de verdadeiro marco na divulgação e na globalização da imagem e da importância de Portugal no Mundo», lê-se no documento.

Também a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) congratulou a aprovação, por unanimidade, dos grupos parlamentares.

“A FPF congratula-se com a decisão tomada, por todos os partidos com assento no parlamento, de conceder a Eusébio da Silva Ferreira as honras de panteão nacional. Personalidade única na história da FPF, Eusébio será o primeiro desportista nacional a ser alvo desta justa homenagem”, lê-se na mensagem publicada no sítio oficial da FPF na Internet.

“Como prometemos na hora da sua partida, a FPF nunca deixará de valorizar e reconhecer o que Eusébio representou e contribuiu para a valorização do futebol português e de Portugal. Queria assim agradecer à Assembleia da República, e a todos os partidos ali representados, a prontidão e a unanimidade desta honra póstuma. Um país com grandeza deve sempre reconhecer os seus melhores e Eusébio foi, sem dúvida, um deles”, realçou a FPF.

O organismo considera que “esta decisão permitirá a todos os milhares de portugueses prestar homenagens póstumas a Eusébio num local de máxima dignidade e mérito”.

“A saudade de Eusébio continua bem presente nos nossos corações, mas a sua vida continuará a ser celebrada por todos”, remata a FPF.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here