Instituto Cultural Brasil Venezuela inaugura exposição «Palavras»

A iniciativa aborda a história da palavra escrita e a importância da língua lusa.

0
631

Um conjunto de palavras portuguesas na exposição ‘Palavras’ dá as boas vindas a todos os que entram no Instituto Cultural Brasil Venezuela, na urbanização La Castellana de Caracas. Trata-se de uma iniciativa cujo curador é Sergio Antillano, junto com a sua equipa museológica, que procura oferecer ao público uma síntese da história que conduziu a expressão humana desde os petróglifos até às modernas linguagens digitais.

Uma pequena mas bonita exposição que procura promover uma compreensão inteligente do acto de escrever e do idioma português, e ao mesmo tempo motivar a reflexão e as perguntas fundamentais em torno do apaixonante tema da palavra e da escrita como extensões do homem, passeando-se pela origem das palavras, o seu significado, expressão sonora, cadência semântica e uso poético.

‘Palavras’ recorda ao público que 240 milhões de pessoas têm hoje o português como língua materna: “A língua portuguesa unifica culturas na América do Sul, África e Europa numa poderosa torrente, diversificada e plural”. Só no Brasil, “é o idioma de cerca de 205 milhões de seres que o enriquecem diariamente, com as cadências e variantes que trazem a esta língua a rica diversidade cultural da nação. Os brasileiros escrevem em português com ritmo, sonoridade e comovedora poesia. É a língua com que expressam o que sentem, pensam e sonham”, pode ler-se na exposição, que fica patente ao público até finais deste mês.

Artículo anterior“Monsters Inc” para as crianças do CP
Artículo siguienteMia Couto e o primeiro encontro com os livros
Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here