Ler está na moda: António Lobo Antunes

0
1436

Nascido na cidade de Lisboa a 1 de setembro de 1942, António Lobo Antunes consagrou-se como um dos escritores portugueses com maior número de cópias vendidas no mundo. Licenciado em Medicina e especializado em Psiquiatria, participou na última fase da guerra da liberação colonial de Angola entre 1970 e 1973, o que marcaria as suas obras.

Em 1979, publicou o seu primeiro romance, intitulado “Memória de elefante”, e a partir de 1985 dedicou-se integralmente à sua atividade literária e jornalística, sendo um dos escritores lusos mais ativos e com uma obra mais extensa, conseguindo uma grande variedade de prémios como Juan Rulfo e o FIL de Literatura em Lenguas Romances.

Em 1990, publicou o “Tratado das paixões da alma”, um texto que o consagrou internacionalmente conhecido. Hoje, Lobo Antunes é um fenómeno em termos de vendas, sendo um autor muito lido em todo o planeta e tido como referência por muitos estudiosos académicos.

Entre as suas obras, destacam-se «Auto dos Danados», «Fado Alexandrino», «As Naus», «O Manual dos Inquisidores», «Tratado das Paixões da Alma», «A Ordem Natural das Coisas», «O Esplendor de Portugal», «Não Entres Tão Depressa» e «Ontem Não te Vi em Babilónia».

Outras obras: Memória de elefante (1979); Os cus de Judas (1979); A explicação dos pássaros (1981); Conhecimento do inferno (1981); Fado alexandrino (1983); Auto dos danados (1985); As naus (1988); Tratado das paixões da alma (1990); A ordem natural das coisas (1992); A morte de Carlos Gardel (1994); Sonetos a Cristo (1997); Crónicas (1995); Manual dos inquisidores (1996); O esplendor de Portugal (1997); Olhares 1951-1998 (1999); Exortação aos crocodilos (1999); Não entres tão depressa nessa noite escura (2000); Que farei quando tudo arde? (2001); Segundo livro de crónicas (2002); Diálogos (2003); Boa tarde às coisas aqui em baixo (2003); Eu hei-de amar uma pedra (2004); História do hidroavião (infantil, 2005); D’este viver aqui neste papel descrito: cartas de guerra (2005); Terceiro Livro de Crónicas (2006); Ontem Não Te Vi Em Babilónia (2006); O Meu Nome é Legião (2007); O arquipélago da insónia (2008); Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra no Mar? (2009); Sôbolos Rios Que Vão (2010); Quarto Livro de Crónicas (2011); Comissão das Lágrimas (2011); Não É Meia Noite Quem Quer (2012); Quinto Livro de Crónicas (2013); Caminho Como Uma Casa Em Chamas (2014); Da Natureza dos Deuses (2015).

Artículo anteriorIliana Goncalves e Aquiles Baez apresentam “Berlineando”
Artículo siguienteAna de Sousa destaca-se com a obra “Comegato”
Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here