Língua de Camões em destaque na II Semana Extraordinária da UCV

Evento contou com a presença de Adelina Moura, professora da Universidade de Braga

0
659

Ommyra Moreno Suárez

De 28 de novembro a 2 de dezembro, realizou-se a II Semana Extraordinária da Escola de Línguas Modernas da Universidade Central dea Venezuela (UCV), desta vez no âmbito das comemorações dos 70 anos de formação humorística. A iniciativa foi organizada com o propósito de estabelecer relações entre o estudo das profissões da Escola de Línguas Modernas e diferentes áreas relacionadas com a linguística, literatura, tradução, interpretação, línguas e artes em geral.

Estudantes e professores tiveram a oportunidade de participar num vasto programa de conferências e ateliês nos espaços do Auditório TobíasLasser da Faculdade de Ciências, do Auditório da Faculdade de Humanidades e Educação e nas aulas da Escola de Línguas, no edifício Trasbordo da casa de estudos.

A Portugalidade esteve presente no dia 28 de novembro com a participação de Adelina Moura, professora da Universidade de Braga, que graças ao apoio da Coordenação de Ensino da Língua Portuguesa na Venezuela ofereceu uma dissertação orientada à criação materiais interactivos na web para o ensino de português como língua estrangeira. Ainda, foi realizado um ateliê de formação para professores de língua portuguesa, a cargo de Sofia Saraiva, docente do Instituto Camões. De seguida, os estudantes da UCV e do instituto de línguas Proidiomas fizeram parte de um workshop, que serviu para esclarecer dúvidas e trocar ideias sobre a aprendizagem do português como língua estrangeira.

Na quarta-feira 30 de novembro, teve lugar no auditório da Faculdade de Humanidades e Educação um concerto interpretado pelo Ensamble Zarabanda, que encantou o público com a interpretação de peças musicais do século XVI, cantadas em português e espanhol. O recital “Cancioneiro de Elvas” incluiu vários textos dedicados ao amor e à natureza numa língua que tentava recriar o homem do renascimento. O evento foi realizado graças ao apoio da Embaixada de Portugal em Caracas e do Instituto Camões, que tem um protocolo de cooperação com a UCV há mais de 22 anos, apoiando a formação de tradutores e intérpretes, através do Departamento de Língua Portuguesa da instituição universitária.

[quote_box_center]

Adelina Moura na Venezuela

Em entrevista ao CORREIO, Adelina Moura, professora da Universidade de Braga, e convidada da II edição da Semana Extraordinária da Escola de Línguas Modernas da UCV, destacou a importância da iniciativa e assegurou sentir-se feliz pelo trabalho realizado pelas instituições luso-venezuelanas para promover a cultura lusitana. «Estou muito feliz e acredito que tudo o que envolva partilhar conhecimento uns com os outros é uma mais-valia para promover o ensino e trocar pontos de vista entre investigadores de diferentes países. Também nos permite ver quais são as novidades e as inovações. Como tal, acredito que estas conferências e dissertações são muito importantes para os dois países (…). É um prazer enorme ter sido convidada a integrar este evento, ainda para mais numa universidade com tanto prestígio como a Universidade Central de Venezuela. A minha presença aqui é para partilhar as minhas experiências de investigação, que estou a desenvolver há dez anos. O meu objetivo é deixar uma aprendizagem sobre novas metodologias de integração da tecnologia nas aulas. Estou orgulhosa e feliz por ver o amor que têm os estudantes pela língua portuguesa. O que levo desta experiência é o enorme interesse e um trabalho árduo que realizam com carinho para promover a cultura de Portugal na Venezuela», assinalou.

[/quote_box_center]

 

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here