Manuel De Bastos tomou conta do teatro picante caraquenho

O luso-descendente conta com várias obras que estão em função em simultâneo

0
881

Sucesso. Assim se resume o momento que está a viver o luso-descendente Manuel de Bastos no âmbito teatral caraquenho, onde tem conseguido posicionar diferentes obras em simultâneo.

A primeira peça, “Blancanieves y las siete locas”, estará em função todas as segundas-feiras até 26 de Outubro, sempre às 7:30pm, no Teatro Chacaíto. Trata-se de uma peça teatral repleta de humor, boas actuações e muitas surpresas numa estonteante versão de um dos clássicos infantis mais importantes de todos os tempos. O enredo, as piadas inteligentes e as situações fazem com que esta peça seja uma comédia musical onde o público vai desfrutar do princípio ao fim.

Os personagens desta história, produzida por Vito Meo e dirigida por Bastos, são atípicos e representam diversas características do ser humano: partindo do padrão dos anões do conto original, tomaram-se as características representativas e isto acrescentou-se o toque particular e cómico de “las locas”, o príncipe, a madrasta e a mesma branca de neve. A montagem é divertida, algo pícara e de humor requintado.

O toque cómico é propiciado pelas loucas e um príncipe actor que depois de perder tudo decide formar parte de um grupo de teatro formado por vários actores gay que seriam os sete anõezinhos, e desta forma podemos encontrar-nos com uma louca com dupla personalidade, una rabugenta e uma muito feliz, uma que simula o anão dorminhoco porque se lhe passa no limbo, uma que tem por ídolo María Conchita Alonso e representa o anão alérgico, Suspiro Sublime o anão romântico e Corina, o anão mudo dono do teatro, a maldade marca presença graças a Amadora.

“Ano… ahora hablo yo”
Depois do êxito obtido com as temporadas anteriores, a peça “Ano… ahora hablo yo” continua a dar que falar todos as quintas-feiras no Teatro Chacaíto, às 7:30pm. Uma comedia picante mas com um profundo realismo, ideia original de Manuel Bastos e escrita por Marianella Alonzo.

Trata de uma academia de jovens ‘strippers’ que se envolvem num tema muito profundo e que para muitos ainda continua sendo um tabu. Seis histórias novas contadas por estes jovens que a partir do ponto de vista que pensam os personagens e que além disso contam com características muito marcadas que nos levam a uma reflexão inquestionável: o ser humano tem que aprender a conhecer o seu corpo, as suas limitações e arriscar-se a experimentar coisas novas, mas sobretudo, ser felizes e conseguir a plenitude no que toca ao tema sexual.

Nesta oportunidade não só veremos corpos esculturais de homens e mulheres, e poderemos ver como cada um deles se desnuda não só as suas almas, deixando a descoberto os seus segredos mais íntimos. Todo isto entre música e danças muito sensuais.

“Aunque se vista de seda, pargo se queda”
Outra proposta de Bastos para esta temporada é a peça “Aunque se vista de seda, pargo se queda”. A história decorre na casa de um desenhador que na sua luta inalcançável para conseguir a fama e o êxito começa a procurar um patrocinador que comercialize as suas criações. Vive com a irmã mais velha que cansada de viver pelos demais para negligenciar a sua vida, está já desesperada por conseguir um homem para formar uma família e assim abandonar ou desligar-se do seu irmão.

O enredo começa quando chega uma modelo e um detective privado que vem investigar o caso de um suposto desenhador bígamo. Qualquer coisa pode acontecer quando estes personagens na sua luta por alcanças os seus propósitos façam o que seja preciso para o conseguir. Actuam na peça Marlyn Castro, Yamilee Trias, Yukency Sapuky e Javier Vargas.

A obra, escrita por Ester Orjuela, produzida por Vito Meo e dirigida por Manuel Bastos, está em função até 30 de Outubro, todas as sextas-feiras, pelas 7:30 da noite, no Teatro Chacaíto.

“Se Solicitan Chicas Con Experiencia”
Uma comédia original de Esther Orjuela, conta com a história de um famoso local de recriação para adultos que será o testemunho de uma soma de coincidências e enredos. Um homem com grande ambição procura emprego ali e sem saber, nesse lugar encontrará a verdade em todas as suas mentiras. O jogo do amor, a infidelidade e a mentira estará em jogo. Ali estará o carismático Fifí, dono do local e quem se encarregará de enredar tudo ou mais com o fim de complicar a vida de todos os personagens que acodem a este local.

Nesta comédia trabalham Marlyn Castro, Ronnys Hostty, Luzbella Gil, Jhonatan Arguello e Génesis Suarez, sob a produção de Vito Meo e a direcção de Manuel Bastos. A peça está em função até 1 de Novembro, todos os sábados às 7:30pm, e domingos, pelas 6:30pm, no Teatro Chacaíto.

“Sólo para Ellas”
Até 17 de Dezembro, o Teatro Sambil recebe todas as noites de quinta e sexta-feira a bem sucedida peça “Sólo para Ellas”. Carlos «El Novio», está a pensar em casar com a sua namorada “La Flaca”. Para despedir-se da condição de solteiro decide fazer a sua última festa, na companhia dos seus quatro melhores amigos, onde o público vira protagonista.

Entre música, copos, confissões e muito pouca roupa, estes amigos indagam sobre o extraordinário mundo feminino, destapando as suas infidelidades e as suas fantasias eróticas. Para saber que Carlos vai ou não casar, terá que ver a peça, que é uma comédia com as portas abertas para todos os géneros, e onde os homens desfrutam da jocosidade machista das típicas relações do homem venezuelano, somando a virilidade masculina que as mulheres esperam ver. Uma obra de teatro escrita por Gennys Pérez, dirigida por Manuel Bastos e produzida por Luis Nuzzo.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here