Marca de Água estreia Pólo da Bienal Internacional de Arte de Gaia

0
92

A Galeria Marca de Água, em parceria com a Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural, com o apoio da Câmara Municipal de Gaia e do Ministério da Cultura, estreia pela primeira vez no Funchal o Pólo da Bienal Internacional de Arte de Gaia.

A 4ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2021, tem direção artística do artista plástico, jornalista e museólogo Agostinho Santos. Esta bienal tem uma programação descentralizada, distribuindo-se por nove municípios do país. Além de Gaia, a bienal tem pólos em Alfândega da Fé, Esposende, Monção, Santa Marta de Penaguião, Viana do Castelo, Vila Flor e Funchal, que marca estreia nesta edição. A edição deste ano contemplou o apoio do Ministério da Cultura, através da Direção-Geral das Artes que reconhece deste modo a importância da bienal no panorama artístico nacional.

A bienal abriu ao público no passado dia 17 de abril e ficará patente até ao mês de julho, em função da programação definida para os vários pólos. A edição deste ano contempla treze exposições em oito pólos, expondo mais de quinhentos artistas de dezassete nacionalidades. O pólo principal em Gaia, contempla três pavilhões, num total de seis mil metros quadrados, na antiga fiação de Crestuma, em Lever, local que acolheu esta iniciativa em 2019.

Diogo Goes é o curador do Pólo do Funchal

O pólo do Funchal tem a curadoria do artista plástico Diogo Goes, curador da Galeria Marca de Água e professor do ensino superior no Instituto Superior de Administração e Línguas – ISAL, onde leciona História da Arte. O artista madeirense é também Editor-chefe do Jornal da Comunidade Científica de Língua Portuguesa – A Pátria (Ponte Editora) e integra os conselhos editoriais de várias revistas científicas.

Inaugurações simultâneas abrem programação do Pólo do Funchal

Sobre a programação do Pólo da bienal no Funchal, a Galeria Marca de Água, revela que no próximo dia 27 de maio serão inauguradas novas duas exposições em simultâneo, uma coletiva e outra individual, pelas 18 horas.

Painel de luxo em exposição coletiva no Funchal

A exposição coletiva “Pólo do Funchal da Bienal Internacional de Arte Gaia 2021” reúne  cerca de duas dezenas de obras – pintura e instalação – e um painel de luxo, contando com a participação de Bárbara Carreira de Sousa, Carla Cabral, Fátima Spínola, Francisco Timóteo, Gonçalo Ferreira de Gouveia, Guareta Coromoto, Luísa Spínola, Marco Fagundes Vasconcelos, Teresa Jardim, Violante Saramago Matos (que também expõem individualmente), entre outros artistas que integram a coleção da galeria.

Violante Saramago Matos revela livro e exposição

Também no âmbito desta programação a escritora e pintora Violante Saramago Matos irá apresentar pelas 16h30 de dia 27, um livro intitulado “Escritas da Pandemia com caneta e pincel” que contempla uma mostra de trabalhos de desenho e fotografias que ilustram os textos do livro, realizados durante o ano transato.

Bienal de  Causas contempla 13 exposições de mais de 500 artistas

De referir que a Bienal de Gaia é dedicada às causas sociais, tendo este ano como mote “o combate ao COVID-19”. Os homenageados desta edição são o artista plástico Albuquerque Mendes que apresenta uma exposição antológica “Eu, Albuquerque Mendes — Obras na Coleção de Serralves”, com curadoria de Paula Pinto, bem como o escultor Paulo Neves, cuja curadoria da exposição antológica é assinada por Manuela Hobler.

A Direção Artística da Galeria Marca de Água está a cargo da historiadora Raquel Fraga.

As novas exposições na Marca de Água ficarão patentes até 30 de julho.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here