Marcelo sugere que ponte sobre o rio trancão tenha o nome de Papa Francisco

0
70

O Presidente da República sugeriu hoje que a ponte ciclopedonal sobre o rio Trancão tenha o nome de Papa Francisco, assim como o futuro parque que está planeado para aquela área entre Lisboa e Loures.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas no novo percurso ribeirinho de Loures, hoje inaugurado, com seis quilómetros, junto ao rio Tejo, ligando este município aos de Lisboa e de Vila Franca de Xira.

O chefe de Estado foi desafiado a deixar uma sugestão para o nome da ponte ciclopedonal sobre o rio Trancão – à qual o executivo municipal de Lisboa presidido por Carlos Moedas queria dar o nome de Ponte Pedonal Cardeal Dom Manuel Clemente, o que o próprio ex-cardeal-patriarca de Lisboa acabou por recusar.

Na resposta, o Presidente da República começou por dizer que lhe parece «ótimo o nome de Papa Francisco» para o futuro parque que vai surgir naquela área.

«Para o parque, e se for para tudo também. Pois, quer dizer, a ponte tem a ver com o parque, e integra-se no parque. Pode ser uma boa saída, essa», considerou.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, dar esse nome ao parque e à ponte, depois da Jornada Mundial de Juventude ali realizada no início de agosto, «acaba por ser a homenagem ao que houve de mais importante» nesse encontro católico.

No seu entender, «ninguém esquece o papel fundamental que teve a Igreja [Católica] e teve a diocese de Lisboa», mas «o que fez a diferença foi: o papa veio cá a uma Jornada Mundial da Juventude».

«Foi este papa Francisco que fez a diferença e faz a diferença. Acho eu, mas, enfim, a história dirá», acrescentou.

O Presidente da República contou que «poucos dias depois» de ter estado em Portugal para a Jornada Mundial de Juventude o papa Francisco lhe enviou uma carta, «muito afetuosa e muito pessoal, a agradecer tudo o que aconteceu».

«Pediu-me para eu rezar por ele, mas foi dizendo que reza por mim», adiantou Marcelo Rebelo de Sousa, que é católico praticante, referindo que isso lhe deu «uma segurança acrescida, porque bem preciso é».

O chefe de Estado tinha ao seu lado o presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão, e o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro.

Na inauguração do novo percurso ribeirinho de Loures esteve também presente o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas.

O Presidente da República elogiou esta obra, considerando que constitui «uma viragem fundamental na qualidade de vida, na ligação entre os vários concelhos».

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here