Medicamentos para portugueses carenciados estão a demorar a chegar à Venezuela

0
52

Os medicamentos para tratar portugueses carenciados através de uma rede de assistência médica apoiada por Lisboa estão a demorar a chegar à Venezuela, agravando as dificuldades da comunidade, denunciou uma associação portuguesa de solidariedade social.

«Os medicamentos não estão a chegar, nem para a maioria das necessidades mais usuais dos nossos idosos (…) não sabemos porquê esta situação», disse a presidente da Academia da Espetada Ana Maria de Abreu.

A responsável falava durante um encontro entre o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo e a comunidade portuguesa local, que teve lugar na Casa Portuguesa de Arágua (117 quilómetros a oeste de Caracas).

«Estamos sempre atentos e a tentar ajudar aquelas pessoas idosas que estão tão necessitadas. E há muitas, muitos, que realmente não têm nem comida, não têm com que se alimentar», sublinhou a também conselheira suplente do Conselho das Comunidades Portuguesas.

Ana Maria de Abreu disse ainda estar a receber queixas de portugueses em relação à atribuição e receção do Apoio Social a Idosos Carenciados (ASIC).

«Muitos já faleceram e outros tantos estão necessitados e ainda não estão a receber. Não têm sido aprovadas (recentemente) ajudas do ASIC. Quem já recebe a ajuda, está a receber através de um cheque e o pagamento demora até mais de três meses. Durante esse tempo falta a alimentação e a medicação», disse.

Durante o encontro com a comunidade, Paulo Cafôfo ouviu da parte de portugueses agradecimentos por alguns apoios, mas também chamadas de atenção para as dificuldades na «obtenção da nacionalidade pelos avós paternos e maternos» e nos processos de divórcio em Portugal.

Os portugueses queixam-se que mesmo tendo feito o processo de divórcio na Venezuela, têm que contratar um advogado para o fazer em Portugal, o que é praticamente impossível porque devido à situação pessoal e à crise no país, muitos não podem pagar entre dois mil e quatro mil euros que são necessários para o efeito.

Paulo Cafôfo iniciou na quinta-feira uma visita à Venezuela, enquadrada na iniciativa «Portugal no Mundo: Caminhos para a Valorização das Comunidades Portuguesas» e que tem como objetivo «reforçar laços» e aproximar os portugueses residentes no estrangeiro dos que vivem em Portugal.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here